A2

Abol da Gaita!

Por: Rocca Vera Cruz

Discussão em casa de Pey e Xanda

Xanda: Mi um ka tem marido. Bô ta morto, rapaz, sô intxadura! Panhá praia? Ondê nada! Má tb na estado que bô está o quê k um crê?

Pey: Qual estado? Ou bô pensa bô ta medjor di ki mim? Mi quando um ta estod diante de um padoce d’amdjer mi ê pior que marrosk na lua, agora bô… Deus perdoa-me, ma já bô passa bo tempo!

Xanda: Passá nha tempo? Mi já-me perdê nha tempo má bo, isso, sim, casá ma bô fui castigo de Deus, pior, quase fui castigo de FIFA mod Mindelense ganha campeonato de Cabo-Verde.

Pey: Daqui a nada bô ta dzê k bô fui campeão de Cabo-Verde na Mindelense, um cuza moda bô k nem ‘aisum’ prendê jgá.

Xanda: Hey, cuidod, mi ê um amdjer esperta, mi ê nê de laia de bos conjardinha.

Pey: Esperta? Bô ê daquej k tive habilidade de reprová na jardim!

Xanda: Mi? Rapaz, mi sempre um fui de plumanhã na Ludgero Lima. E na nha tempo ka tinha jardim.

Pey: Por isso bo ka tem bases.. Ka tinha jardim? Moss bô ta pra li diaza, hein?

Xanda: Ka bô vra conversa, nô tava ta fala de hora de seriedade k nunca bô ta respondê presente. Mi um guenta nha falta até hoje fui mode amor.

Pey: Falta? Mi um ta novim!

Xanda: Novim? Sô se for d’imbig pa riba!

Pey: Mi má bô já ca podê dá dret. Se no fazê conta somod nô tem mas de 100 e mas de 100 one de riba de um cama ka ta dá. Um cientista noruegues dzê k pa sangue de Jesus côrrê na veia kel soma de idade ka pôdê dá 100.

Xanda: Bô pa sangue corrê na veia bô tem de tmá um dose cavalar tripla de azulinha e cmê sô cmida de panela durante um mês. Ah, e nada de preliminares . Bsot home ka ta prendê porque tem bateria k já ca ta tmá carga.Tmá azulinha à vontade sem preocupá c saúde porque daqui a nada já bô ta dá dona Lili k ganhá. Oh Deuusssss, rapaz, lembrá de kel peça Cronicas de Mindelo manera kel brasilirinha cmê Ney 12.000 conto!

Pey: Ney ê nha herói, ele dá broque ma ta contecê, tem uns dia ka tem sistema, ma ele môrrê sabe! E txam ba ta dzeb, kel brasilirinha bá c sorte porque Ney tava ta ba kebrá kel cama!

Xanda: Bô ca tem ciença, moss, bem kebra cama bô, bem. Sô intxance,porra, bá pa o espaço superior!

(A discussão acaba com a Xanda indo para o quarto e Pey a ficar deitado numa cadeira na sala. Pey olha para a porta do quarto e ‘toca sacana’ para Xanda).

(Chega uma msg, após lê-la Pey , levanta-se e vai para a casa de banho dizendo de forma a ser ouvido por Xanda – ‘txam tma um bonhe pa um ca faze um asnera li dent’. Enquanto toma o banho, Xanda lê a msg e volta para o quarto. Ney sai do banho, finge dormir e passados alguns minutos, pensando que Xanda dorme, sai de mansinho, entra no carro e liga para um numero).

Ney: Olim ta txgá, esperá um czinha, um sabê k bô ta infronto pa oia bô bebezão, esperá, ninha de nha coração!

Entretanto n’’USabor’, sentadas numa mesa, Zuleica e Gisela, conversam:

Zuleica: ‘O quê bo ta li ta fazê, ninha?’, sentada na esplanada d’Usabor,’

Gisela: Um tem 1 encontro li ma um pessoa ma ê mas um bocod, sê pa ba pa casa um bem log de Lajinha pra li, e bô, cherrie?

Zuleica: ‘Mi també um tem um encontro li, contam kel novidade k bô dzem na movel.’

Gisela não perde tempo , e diz, despachada, : ah menina, um ranja um txutxe na Laginha. Mi ma ele tava lá pa banda de lar d’idosos quê já ele ê nê novo, escuro ftxa, no ba pa lorgue, já bô sabê, lantchinha vai, lantchinha vem, cosa filá. Claro que nha mucim oficial ca sabê. Esse li ê um home cool uvi, jal troca-me colchon pa um de casal. E claro, jal compra-me uns roupa lá na Naty porque um tem que ba esticod pa quej parodia quel ta bancá… E bô Su?’ conta-me.

Zuleica :Bô pensá um ta fca pa tras? Mi desde que ej transferi nha mucim pa Sal um dá nha expediente. Um flana intxada e c mania de flipada que ba passa um mês na Holanda e que esquece de fala criol ka ta nem imagina k um coimal sê marido. Tud sês cosa agora ê alles goed, nei, Ik how von you, etc. Ele ta esquecida c li no ta fala ingles, por isso mi ma se maridim ta oraite nesse about. Maridão ta cheio de paus, um reforma de 250 bala ta dal pa banca tude. Nô ca mestê ba pa Sintanton pa pô corno, ê so debangá na kel hotel que já bo sabê na Lazareto, lá naquel escuro ondê que tê gongon tem medo de bá, cosa ta fca arremod. Gosturdia no tchega lá ele tava c corpo incmodod de scotch, inda ele chobrá redbull ma safari na butch, cotod ele começá ta trêmê, um dzê ê desse volta qu’el ta ba pa nha Marquinha, ma ele guentá, enton m detal naquel cama, barriga pa riba moda um tartaruga, ele dá-me uns dos pegada na pescoço, um fingi ftxa oi , um dzê ‘aiaiaia uiuiuiui ele sinti dono de mundo, ver bô oiá paus ta somá de conte. Mim ca pedil , ele ê que dá.

Gisela: Esh titio ê tud igual, es ta ptá boca na vidro, depos uns ta das pa bá pescá, ots pa jgá uril, uns ta ba pa Reino de Deus, esse li vrá lêlê e na sê cabeça ele ê pxador. Uvil fala na bitchada ê um cosa, hora de pau na tchuck bo ta otcha so plasticina. Dos bombada ptá lingon!

Zuleica: Esh titio tud tem psycho-five trublode,moda Toy Hippie tava dzê,

Gisela: Bô pôdê dzê, imaginá esse meu pergunta-me se ele pôdê confiá na mi! Um dzel claro, mas de 100 já confiá, já agora confiá tb.

(Depois de sonoras gargalhadas), Gisela continua, :ma cuidod , mi nha mucim um ca ta tcha d’ele nem pintod. Café ma coração ê dos departamento separod. E conversa de 2 ê nê conversa de 3. Txam dzeb um cosa, basta bo ca dze bo titio que bo tem um txutxe e garantil que quel braquim ê sô d seu, bo ta clore k’ele ka ta tcha de bô e paus ta corrê sem manha.

Gisela e Zuleica olham para o espaço de entrada de Copacabana,

Zuleica comenta: oiá tonte amdjer k já entra li , depôs es ta dzê nôs ê k ê bamba.

Gisela: Bô pôdê dzê, Gi, esse terra li, felizmente tem mar de Laginha pa lává pecode de tud gente. Agora atê chinesa ta estod prei ta faze lanchinha! Jame dzeb.esse estora de amor ê que ta po tude esse trublaçon na town, um data ti ta côrrê de love, dá sê volta má um PT, vrá pa casa trankilitas . Ma tb uvi, es casal ta ta tra cumpanher ferral, kel ot dia, ê sô ‘nhu, nê, fufutx’, friskim de ses vida.

Risos

Zuleica: ah menina para c’ pasta, Bomba Não!!!

Gisela vai à casa de banho, fala com um titio em italiano e vê alguém subindo as escadas falando ao telefone :

Pey: mi um ka ta brincá, fora Manhana vai tud estrocid’,
(espantada vê o seu titio, velho reformado,dirigir-se para a mesa onde está Zuleica).

À mesa Pey pergunta , como bsot ta conchê?

Pey nem tem tempo de dizer absolutamente nada e tenta sair de fininho, (ele é o titio das duas).

Inesperadamente, os tres são surpreendidos por Xanda.

Xanda ’Sr Pedro, o quê bôcê ta li ta fazê ma esh baby ? Ou bô pensá que um ca sabê que es ê de café? Bsot home ê burro, rapaz, bô bá tmá bonhe um oiá mensagem de kel cusa na bô movel. Um sabia que bô tava ta bem prali.

Xanda dá uma pegada no catchosse de Pey, volta-se para Zuleica e diz bô c’esse corpim de cagarra um ta vrobe disvessa e para Gisela , bô um ta pobe ta ingli babosa.

Xanda, então, explode no meio de todos os clientes, com Pey preso pelo pescoço:

Xanda: esse pitrol de bossa já ka ti ta da nem pa fogon de casa inda bô crê arma em Rei do Gado? Contá c’um ti ta bem pob um corno bo ti ta bem fca ta oiá turvo e c fumo ta escuob pa uvid. E txam visob, ê já ot semana que tem boi de pxá largod!’ Os entendedores, entenderão, moda kel menininha Marley ta dze..

Gisela para Zu: Moss esse galinhona tinha k bem estragá nôs esse muv.

Gisela para Pey: txá esse conta pagode, nha boy! Dá Marco fala , porra, nô ca tem dnher!

Zuleica: Esse cosa ê rêpê k nô tem de fazê!

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar