Covid19

D. Saúde: “Ainda não se pode afirmar que Sal tem coronavírus”

O Delegado da Saúde do Sal informou à RCV que o caso referente à paciente grávida evacuada para S. Vicente obrigou a tomada de medidas, pelo que várias pessoas foram submetidas a testes rápidos, mas até agora os resultados têm sido negativos. Do leque de indivíduos abordados pelas autoridades sanitárias constam técnicos de saúde, familiares da paciente e amigos que frequentavam um pequeno estabelecimento de venda da grávida, na ilha do Sal. Alguns dos elementos foram colocados, no entanto, em isolamento.

“Ontem foi feita colheita ao companheiro e esperamos pelo resultado do teste PCR. De qualquer forma estamos esperançosos com o o exame negativo do esposo, assim como de outros contactos”, salientou o Delegado de Saúde, para quem ainda não se pode afirmar que Sal tem coronavírus enquanto isso não for confirmado pelo teste PCR. 

 732 total views,  732 views today

Covid contaminaçao

Covid-19: Jorge Barreto não descarta possibilidade de coronavírus ter estado a circular no Sal

O infectologista Jorge Barreto levantou a hipótese de o coronavírus da Covid-19 ter estado a circular na ilha do Sal antes do fechamento das fronteiras e infectado pessoas que, entretanto, terão ficado assintomáticas e não procuraram os serviços de saúde. Este cenário, conforme o Director do Serviço de Prevenção e Controlo de Doenças, pode explicar o facto de uma grávida evacuada do Sal para S. Vicente ter apresentado anticorpos ao novo coronavírus, após ser submetida a dois testes rápidos, ambos positivos.

Confrontado com este caso, Barreto lembrou que houve turistas a circular pelas ilhas pelo que não descarta a possibilidade de o vírus ter estado também presente no Sal, o principal destino turístico de Cabo Verde.  “Embora seja atípico não ter havido casos suspeitos confirmados de Covid no Sal, não podemos descartar assintomáticos e as pessoas não terem procurado os serviços de saúde”, expôs Jorge Barreto em conferência de imprensa na cidade da Praia, para quem foram tomadas as medidas sanitárias de acordo com a informação clínica que a grávida apresentava. O especialista lembra que a paciente saiu de uma ilha supostamente livre da Covid-19 para outra que, apesar de ter apresentado 3 casos, há algum tempo que não tinha nenhum infectado. Para ele, o que falta esclarecer é se a paciente apresentou as dificuldades respiratórias já no Sal ou se apenas quando chegou à ilha de S. Vicente. Jorge Barreto fez questão de frisar, no entanto, que um caso suspeito em S. Vicente que anunciou hoje não tem nada a ver com a situação da grávida.

16 novos casos de Covid-19 na Praia

Jorge Barreto fez estas considerações hoje, dia em que anunciou mais 16 casos de infecção por Covid-19 no concelho da Praia. Conforme esta fonte, de ontem para hoje foram analisadas 231 amostras laboratoriais recebidas nos dias 24, 25 e 27 Maio, destes 213 para fins de diagnóstico e 18 de controlo. Do total para diagnóstico, 131 são da cidade da Praia, 61 da Boa Vista, 12 de S. Vicente, 6 do Tarrafal de Santiago e 3 de São Domingos. Os exames revelaram mais 16 pessoas contaminadas na Capital, sendo que 9 foram detectadas no dia 24 de maio, 6 no dia seguinte e 1 dois dias mais tarde.

No tocante a casos suspeitos, há 5 relacionados com a cidade da Praia, 5 do Tarrafal de Santiago e 1 de S. Vicente, num total de onze. Quanto a internados, passaram a ser 245 indivíduos, 242 dos quais na cidade da Praia. No entanto, o número pode decrescer porque, segundo Barreto, houve 18 amostras de controlo com resultados negativos. Já Tarrafal de Santiago continua com um internado e Santa Cruz dois.

Há neste momento 317 pessoas de quarentena na Praia, 4 no Sal, 41 na ilha de S. Vicente, 2 no Tarrafal de Santiago e 73 na ilha do Maio. Cabo Verde já atingiu um total de 406 infecções pelo novo coronavírus, 83 por cento dos quais na cidade da Praia.

 213 total views,  123 views today

Covid19

Grávida evacuada do Sal para S. Vicente infectada com Covid-19

Uma grávida evacuada da ilha do Sal para o Hospital Baptista de Sousa acusou a presença de anticorpos num teste de Covid-19 realizado hoje. Neste momento, a direcção do HBS está apenas a aguardar uma análise molecular PCR para ter uma confirmação definitiva de um caso de contaminação pelo novo coronavírus.

Segundo Ana Brito, a mulher, na casa dos 30 anos, veio evacuada do Sal na quarta-feira devido a complicações na gravidez. Esta começou a apresentar dificuldades respiratórias, foi submetida a uma radiografia, que acusou a presença de uma pneumonia, e depois a testes de sangue e de anticorpos à Covid-19. Os resultados foram positivos, pelo que agora o HBS está a aguardar o exame PCR, que será efectuado na cidade da Praia.

Perante este alerta, as autoridades sanitárias começaram a agir no sentido de identificar as pessoas que estiveram em contacto com a paciente, nomeadamente um condutor, enfermeiros e médicos, que serão colocados de quarentena. Além disso, o HBS comunicou o caso à sua congénere do Sal para tomar as medidas que a situação exige.

Segundo Ana Brito, não havendo casos de Covid-19 no Sal é estranho o surgimento desta situação. Para ela é fundamental um rastreio e que se venha a descobrir como foi possível a contaminação, procedimento que, diz, cabe em primeira mão aos serviços de saúde da ilha do Sal.

A grávida saiu directamente do aeroporto Cesária Évora para o hospital Baptista de Sousa, pelo que terá mantido contacto fundamentalmente com técnicos de saúde. Resta, no entanto, saber quantos passageiros estavam no voo que a trouxe da ilha do Sal.

Devido a esse diagnóstico, a mulher ainda não foi submetida a cesariana. Este caso vem aumentar para 4 o número de pessoas oficialmente infectadas com o coronavírus em S. Vicente. A ilha estava livre do Covid-19 desde que a paciente de nacionalidade chinesa recebeu alta e a normalidade estava a regressar ao quotidiano dos mindelenses. Agora surge um novo perigo no horizonte.

 18,287 total views,  1,442 views today

Cidade-Praia

Santiago sai hoje do Estado de Emergência

A ilha de Santiago vai sair hoje à meia-noite do Estado de Emergência, conforme anunciou o Presidente da República, depois de um encontro com o Chefe do Executivo, o ministro da Saúde e o da Administração Interna para análise do quadro vivido ainda principalmente na cidade da Praia. Segundo Jorge Carlos Fonseca, a situação epidemiológica é estacionária pelo que decidiu não prorrogar a emergência em Santiago pela terceira vez.

No entanto, devido ao número ainda de infectados no concelho da Praia, que já atingiu as 331 pessoas em termos acumulados, Fonseca diz confiar no bom-senso da população para que se possa atingir a normalidade sanitária e social. Assim sendo, as restrições serão levantadas de forma progressiva, mas lembrou que não há nenhum limite constitucional que impeça o retorno ao Estado de Emergência.

A expectativa do Chefe do Estado é que os santiaguenses venham a colaborar, até porque, diz, não se pode dar garantias absolutas de nada no contexto da epidemia.

 206 total views,  19 views today

Reagentes

Covid-19: Reagentes deteriorados interrompem realização de análises

Desde ontem que não estão a ser actualizados os dados da Covid-19 em Cabo Verde devido a detecção de reagentes deteriorados pelo laboratorio de virologia, informou a presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública. Por causa disso e por questão de segurança, refere Maria da Luz Lima, foram suspensas a liberação de exames. 

Esta responsável explica que é fundamental que o diagnóstico seja bem feito, pelo que ao constatar que é preferível agora não liberar novos resultados, o que deverá acontecer nos próximos dias. “Esta-se a fazer tudo para, rapidamente, voltarmos a normalidade. Já foram adquiridos mais reagentes, teses e equipamentos de PCR, que deverão chegar em breve em Cabo Verde. Penso que em dois ou quatro dias, assim que tivermos esta disponibilidade e possibilidade, vamos retornar a normalidade.”

Maria da Luz Lima aproveitou para informar que as pessoas que tiveram alta tiveram resultados negativos com teses de PCR ao vírus Sars-Cov-2. Significa que, neste momento, não estão infectados. Mesmo assim, por questão de segurança, continuam a ser seguidas por 14 dias. Não devem, por isso, ter um tratamento diferenciado. “São pessoas que estão em casa e devem continuar a implementar medidas de prevenção. Isto é fundamental”, alerta a presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública.

Maria da Luz deixou ainda um apelo, realçando que já se vê mais pessoas nas ruas e estabelecimentos mas devem manter o distanciamento fisico, utilizar máscaras, sobretudo em espaços fechados e de grande aglomeração, e lavar as mão com água e sabão. Medidas que, defende, devem passar a fazer parte da rotina das pessoas. 

Quanto aos dados de hoje, o director do Serviço de Prevenção e Controlo da Doença revelou que existem quatro casos suspeitos do concelho da Praia e 329 pessoas internadas. Ontem registou-se mais um óbito, o terceiro na capital e o quarto no país, elevando a taxa de letalidade global para 1% e de pessoas com mais de 60 anos para 8,5%. Trata-se de um indivíduo de 55 anos, com outros problemas de saúde.

Jorge Barreto declarou ainda que no dia 25 foram realizados 756 testes de rastreio nos bairros da capital, mais precisamente em Achada Santo António, Palmarejo, Tira-Chapéu e outros. Foram identificados 13 resultados positivos, que terão agora de ser confirmados com testes de PCR. No dia seguinte, 26, foram realizados um total de 1227 testes na Várzea, Tira-Chapéu, Bela Vista, Terra Branca, de entre outros. 

“Destes, tivemos 19 pessoas resultado positivo e vão ter amostras de secreções respiratórias recolhidas para serem testadas pela técnica PCR”, declarou Jorge Barreto, que anunciou para amanhã a aplicação de testes rápidos em Calabaceira, Vila Nova e Achada São Filipe para as pessoas saberem se tiveram contacto com o vírus da Covid-19.  

 258 total views,  4 views today

Maurino Delgado

MDSV congratula-se com decisão do tribunal de condenar a CMSV a repor subsidio da Adeco

O Movimento para Desenvolvimento de S.Vicente convocou a imprensa para manifestar a sua satisfação pela decisão do Tribunal de condenar a Câmara Municipal a repor o subsidio anual de 500 contos à Associação para Defesa dos Consumidores, suspenso desde 2009. Maurino Delgado responsabilizou a Assembleia Municipal e os deputados do MpD que por esta “negligencia institucional porquanto não fiscalizam e nem controlam Augusto Neves, que tem estado a gerir a ilha ao seu bel-prazer. 

Este activista social recorre a lei n.88/V/89, aprovada pela Assembleia Nacional, para justificar a justeza desta decisão do tribunal de S. Vicente. Realca que esta incumbe ao Estado e às autarquias locais proteger o consumidor, designadamente através de apoio à constituição e funcionamento das associações de consumidores, bem como na prossecução dos seus fins, nomeadamente no exercício da sua actividade no domínio da formação e representação. Entretanto, exceptuando a Câmara do Sal, todos os demais município fogem desta responsabilidade, facto considerado por Delgado como um “défice de consciência desses autarcas”.

No caso da Adeco, frisa, trata-se de uma associação particular de intervenção cívica e de solidariedade social na defesa dos consumidores que promove a cidadania, o desenvolvimento sustentado e a preservação do meio ambiente, consequentemente de interesse público e colectivo. “A Adeco é hoje uma entidade insubstituível na vida dos cabo-verdianos”, pontua Delgado, realçando que, a par da Adeco, ficaram sem subsidio o Centro de Recuperação Nutricional e a Escola de Karaté dirigida por Zeca, duas reconhecidas instituições que cuidam da qualidade de vida das pessoas. 

“Esta decisão nunca poderá ser justificada por falta de recursos porque estes nunca faltaram para toda a espécie de festivais, carnavais, bailes, tocatas na Rua de Lisboa e outras despesas menos importantes e menos prioritárias”, afirma este nosso interlocutor, que não tem duvidas que se está perante uma situação de negligencia institucional, em que as instituições Presidente e Câmara Municipal, não cumprem com as suas obrigações, numa gestão abusiva, incompetente e perversa. “Estes subsídios não são despesas, mas sim investimentos”, acrescenta Delgado. 

Este deixa claro ainda que o conflito da Adeco e da CMSV não precisava ir ao tribunal se a Assembleia Municipal e os deputados do MpD tivesse fiscalizado e controlado institucional e politicamente o presidente, como a lei estabelece. “Em S. Vicente o poder está concentrado nas mão do presidente. Augusto Neves capturou o poder local, gerindo o Município a seu jeito e belo prazer. O fenómeno Augusto é uma prova da nossa incapacidade de gerir o nosso município. Estamos perante uma crise política e social em que os partidos políticos não estão com capacidade de escolher pessoas mais capazes para dirigir os interesses colectivos”, completa. 

Em jeito de remate, este activista faz um apelo para, juntos, avaliarem o desempenho dos Órgãos Municipais e para desmontar os discursos fastidiosos e falaciosos do presidente. Aproveita ainda para convidar os cidadãos, a Sokols 2017, os sindicatos e  as organizações da sociedade civil para fazerem uma manifestação a favor da Adeco para mais e melhor justiça, sobretudo porque a CMSV já manifestou intenção de recorrer da decisão do Tribunal da Comarca de São Vicente. Sugeriu ainda as universidades a debaterem a importância das Organizações da Sociedade Civil no processo de desenvolvimento do país, com destaque para a Adeco.

 244 total views,  17 views today

Cidade da Praia

Covid-19: Cerca de 40% do total dos casos recuperados

Cerca de 40% dos casos confirmados de Covid-19 em Cabo Verde desde o primeiro diagnostico estão recuperados, revelou hoje em conferência de imprensa o Director Nacional de Saúde, que considera este ser um “bom número”. Artur Correia prometeu, por isso, continuar com esta dinâmica numa altura em que o país contabiliza um total de 222 doentes activos, quase todos no concelho da Praia.

São 155 os doentes recuperados, sendo 98 do concelho da Praia, 53 na Boa Vista, três de São Vicente e um do Tarrafal. “Já fizemos 3.500 testes, uma média de 600 a 800 por semana, sobretudo nestas duas últimas. Neste momento no concelho da Praia, a taxa de incidência é de 1/1000. Significa que a epidemia está a diminuir na comunidade, mas a Covid-19 é uma doença em que 80% dos casos são assintomáticos”, frisou, realçando o facto de se conhecer apenas uma parte dos positivos através dos testes. 

Quanto aos dados de hoje, segundo Correia, foram notificados seis casos suspeitos, repartidos pelos concelhos da Praia (3), Tarrafal (2) e ilha da Boa Vista (1). Foram ainda confirmados dez infectados na Capital. Já em relação aos doentes internados, o número baixou para 227, a grande maioria no concelho da Praia, 33 em Trindade, um no Tarrafal e dois em Santa Cruz.

Temos 309 pessoas em quarentena: 266 da Praia, 18 de Santa Catarina, 2 do Tarrafal e 8 de São Domingos. Tínhamos três pessoas em São Filipe que sairam hoje depois que o teste do comandante do Praia d’ Aguada deu negativo. Temos ainda 15 pessoas em quarentena em S. Vicente,” detalha Correia.

São estes números que permitem ao DNS dizer neste momento que há uma evolução com tendência estacionária, com uma ligeira descida dos casos diários. “Esperemos continuar esta tendência. Vai depender do trabalho das autoridades, da população, do engajamento e responsabilidade de todos os intervenientes, quer a nível institucional como da população.”

 375 total views,  4 views today

Uni-CV FAED

Uni-CV clarifica questão dos estágios pedagogos

Em reação à noticia sob o título “Estudantes do 4º de Educação Física e Desporto da Uni-CV recusam repetir estágio” divulgada no jornal MindelInsite, no dia 16 de maio e assinada pela jornalista Constânça de Pina, a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), exercendo o direito ao contraditório, mas sobretudo, querendo esclarecer o jornal, os estudantes e a opinião pública expõe o seguinte:

O Estágio Pedagógico é uma Unidade Curricular do Plano de Estudos do 4º ano do curso de Licenciatura em Educação Física e Desporto e decorre nos dois semestres (7º e 8º semestres), sendo que o 2º semestre foi interrompido logo no início por causa da pandemia do Covid 19. Por isso, não está em causa a repetição do estágio, mas sim, a retoma das atividades, para se concluir a parte que ainda falta. Nota-se que o Estágio Pedagógico do curso em causa decorre sobretudo em contexto da sala de aula, portanto, nas Escolas do Ensino Secundário que de momento estão inativas.  

A carga horária definida para este estágio refere-se às práticas de ensino que o estagiário deve desenvolver nas escolas de acolhimento, devendo, na medida do possível, cobrir o programa da disciplina de Educação Física ao longo do ano letivo, sob pena de ser posta em causa o desenvolvimento de competências que são fundamentais para o futuro professor.

A referência ao Ministério da Educação (ME) terá sido um equívoco dos estudantes e/ou ruído na comunicação com a jornalista, pois o ME não intervém na gestão dos cursos da Uni-CV. A Universidade de Cabo Verde é autónoma neste domínio. Desta forma, a decisão de adiamento dos estágios foi da Uni-CV considerando a suspensão do ano letivo nos subsistemas de ensino não superior, por causa da situação de contingência provocada pela pandemia do Covid-19. Com a suspensão das aulas no ensino básico e secundário, torna-se inviável a realização da prática pedagógica nas escolas, conforme é previsto nos planos de estudos para formação inicial de professores. 

Considerando que o adiamento dos estágios para os finalistas da Uni-CV no presente ano letivo resulta do estado de contingência que se vive no país, por causa da pandemia, os estudantes ficarão livres de quaisquer encargos perante a universidade.

Ver notícia no link: https://mindelinsite.com/desporto/estudantes-do-4o-de-educacao-fisica-e-desporto-da-uni-cv-recusam-repetir-estagio/

 494 total views,  10 views today

Associação Empresarios Chineses CV

Associação de Empresários Chineses de Cabo Verde elege nova direcção em busca de uma maior integração

A Associação dos Empresários Chineses de Cabo Verde elegeu ontem novos órgãos sociais, que elencou como prioridade ajudar os seus associados a entender a legislação cabo-verdiana e buscar uma maior integração em São Vicente. Paulo Pan, presidente eleito da nova direcção desta associação, afirma que a anterior direcção era fechada e apatia, o que motivou esta nova eleição, antecedido da destituição dos órgãos anteriormente eleitos. 

O Secretário Du Yunyou explicou ao Mindelinsite que a associação foi criada faz três anos. No seu primeiro ano ainda chegou a desenvolver algumas actividades mas, nos últimos dois anos, tornou-se inactiva. “Isso nos prejudicou muito, enquanto associação comercial, mas também penalizou a própria sociedade chinesa como um todo. A ideia da criação da nossa associação era apoiar os nossos associados em todos os sentidos, desde o entendimento da língua, da legislação cabo-verdiana, de entre outros. Outro objectivo que falhou redondamente é a nossa integração na sociedade mindelense. Temos alguns associados que estão aqui há muitos anos e que ainda não entendem a língua local, ficam fechados no seu mundo”, indica. 

É tentando reverter este quadro de inatividade que alguns sócios antigos resolveram juntar para dar uma nova vida a esta associação. “Era a primeira fez que estávamos a criar uma associação e não sabíamos exactamente o que deveríamos fazer. Agora já temos alguma experiência acreditamos que podemos fazer muito para ajudar o colectivo de chineses na ilha e os mindelenses, com senso de honra e de responsabilidade. Queremos fazer um trabalho com mais cuidado e com impacto em São Vicente”, pontua. 

Foi neste sentido que, aproveitando o término do mandato da direcção anterior, decidiram avançar com uma nova equipa, liderada por Paulo Pan (presidente da direcção), Xu Wei (vice-presidente), Dy Yunyou (secretario-geral). Ainda Zhang Wuchen (presidente da Assembleia) e Xu Zhennan (vice-presidente) e Lv Guogiang (presidente do concelho fiscal).

Esta equipa vai ter a responsabilidade de dinamizar a associação, angariar mais sociais e desenvolver acções que permita uma maior integração, destacando como novas acções, por exemplo, algo similar a campanha de apoio às famílias carenciadas de S. Vicente, no quadro da Covid-19, em que, rapidamente, conseguiram mobilizar uma grande doação à CMSV. Também pretende estender as suas acções às ilhas de Santo Antão e S. Nicolau.

 6,010 total views,  12 views today

Covid19

Mais dez casos positivos de novo coronavírus no concelho da Praia

O concelho da Praia registou nas últimas 24 horas mais dez novos casos da covid-19 em um total de 43 amostras analisadas, indicou o ministério da Saúde e da Segurança Social esta segunda-feira. Com esta nova actualização, eleva-se para 390 casos acumulados em Cabo Verde. 

Para além das dez amostras positivas do concelho da Praia, contabilizam-se mais 33 negativas. Foram ainda feitos dois exames da Cidade Velha, que deram resultados negativos, e um do concelho de Tarrafal, também negativo. Continuam pendentes de resposta quatro amostras. 

Com estes novos dados, o país conta com um total de 390 casos confirmados, 155 doentes recuperados e três óbitos. Os restantes doentes com infecção activa continuam em isolamento e com evolução positivo, com excepção de um paciente que se mantém em estado grave. 

 306 total views,  2 views today