COVID-19
Tendência

DNS recomenda quarta dose de vacina a partir dos 12 anos devido ao aumento da Covid-19 em CV

A Direção Nacional da Saúde recomendou hoje a aplicação de uma segunda dose de reforço de vacina contra a Covid-19 para as pessoas com idade igual ou superior a 12 anos. Esta medida, que na prática significa a toma da quarta dose de vacina, foi justificada com o aumento de casos de infeção pelo coronavírus Sars-Cov-2 a nível nacional. Conforme o último boletim epidemiológico, Cabo Verde tem neste momento 1.116 casos activos, espalhados por todos os concelhos. 

“Considerando o aumento de casos de infeção a nível nacional e o facto de muitas pessoas com risco acrescido de complicações já ter sido vacinadas com a primeira dose de reforço (booster) há mais de seis meses, observando as recomendações da OMS nesta matéria, a Direção Nacional da Saúde, através do Programa Alargado de Vacinação, vem pela presente directiva recomendar a aplicação de uma segunda dose de reforço de vacina contra a Covid-19 para todas as pessoas com idade igual ou superior a 12 anos”, diz a DNS, acrescentando que o reforço deve visar principalmente as pessoas com 60 ou mais anos de idade ou com doenças crónicas.

Estabelece essa entidade do Ministério da Saúde que a segunda dose de reforço pode ser feita a partir de 90 dias da toma do primeiro reforço e que a directiva tem aplicação imediata.

Quanto aos critérios para aceitação de certificados Covid-19 para viagem interilhas e internacional, com destino a Cabo Verde, e que entram em vigor a partir do dia 1 de julho, o Ministério da Saúde esclarece o seguinte: No artigo primeiro da resolução, especifica-se que os referidos certificados só passarão a ser válidos se neles constar que a pessoa tomou a 3ª dose (ou dose adicional de reforço). “Isto significa que o certificado só será válido para fins de viagem interilhas e internacionais com destino a Cabo Verde se a pessoa tiver tomado, pelo menos, uma dose de reforço há mais de 14 dias, independetemente do esquema inicial feito”, enfatiza o MS.

Mais adianta que, para as pessoas que tomaram a vacina da Janssen – popularmente conhecida como a vacina da Johnson – cujo esquema inicial requer apenas uma dose, o certificado deve ser aceite se há evidencias da toma de dose de reforço. Para aqueles que ainda não puderam receber pelo uma dose de reforço de vacina, estes podem viajar para Cabo Verde com um certificado válido de recuperação ou com um de teste negativo RT-PCR realizado até 72 horas antes da hora do embarque. Ainda podem esses passageiros apresentar um teste rápido de antigénio feito até 48 horas antes da viagem.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo