COVID-19

Bolsonaro classifica como “idiota” clamor por mais vacinas contra Covid-19

O Presidente do Brasil respondeu de forma grosseira aos pedidos para a compra de mais vacinas contra coronavírus. Falando com um grupo de apoiantes na cidade de Uberlândia – Minas Gerais e aparentando estar extremamente irritado, Jair Bolsonaro classificou como “idiotas” os pedidos para mais vacinas para enfrentar os contágios e mortes pela Covid-19.

“Tem idiota que a gente vê nas redes sociais, na imprensa, dizendo vai comprar vacinas. Só se for na casa da tua mãe. Não tem vacina para vender no mundo,” disparou o chefe de Estado, para delírio dos apoiantes que, como em todas as viagens dele, promovem ajuntamentos sem qualquer cuidado contra a disseminação da Covid-19, nem mesmo o uso de máscaras.

Bolsonaro tem aumentado o tom e a campanha contra o processo de vacinação e contra as medidas restritivas que governadores de Estados e autarcas têm decretado para tentar conter o avanço da pandemia, que até esta quinta-feira já matou mais de 259 mil pessoas no Brasil.

No ano passado, Bolsonaro rejeitou uma oferta de 70 milhões de vacinas da Pfizer alegando que quem tinha de ditar as regras do negócio era ele e não a farmacêutica, e, em outra oportunidade, declarou que o Brasil não tinha de ir atrás de vacinas, os fabricantes é que deveriam procurar o Brasil.

O processo de vacinação no Brasil iniciou-se em São Paulo no dia 17 de janeiro, mas, até hoje, foram vacinados pouco mais de sete milhões dos 212 milhões de habitantes do país.

Sem interesse do governo central, e com Bolsonaro, seus filhos e ministros a atacar a China, onde são produzidos os insumos essenciais para a fabricação de imunizantes, o Brasil enfrenta sérias dificuldades para comprar vacinas e nem os grupos prioritários foram vacinados até agora.

C/CM.PT

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo