Desporto

Natação no currículo escolar: Uma centena de alunos do EBO iniciam curso de natação em SV 

Uma centena de alunos do ensino básico obrigatório, seleccionados em cinco escolas da periferia da cidade do Mindelo, iniciam a partir da próxima segunda-feira, na praia de Lajinha, um curso de natação, promovido pela Escola de Natação Nhô Fula. Segundo  o presidente da direcção da ENAF, Silas Leite, este curso é um primeiro sinal de acesso da natação no currículo escolar em Cabo Verde. 

O curso, diz Leite, enquadra-se no projecto denominado “Actividades formativas e cívicas no âmbito do desenvolvimento da natação em Cabo Verde”, em parceria com o Vitoria Futebol Clube da Praia, que se interessou em introduzir esta pratica nas suas actividades. Mas a ambição maior, diz, é introdução da natação no currículo escolar em Cabo Verde, tendo em conta a sua importância na questão da prevenção, no acesso à funções marítimas, mas também no desporto, saúde e bem-estar.  

“Na segunda-feira vamos fazer uma espécie de apresentação e passar uma mensagem entre as cinco escolas de S. Vicente onde os 100 alunos foram seleccionados: Chã de Cemitério, Bela Vista, Ribeira de Craquinha, Chã de Marinha e Pedra Rolada. São alunos dos 8 aos 15 anos, provenientes preferencialmente de famílias carenciadas, mas com bom aproveitamento escolar”, diz.

Relativamente ao projecto, Leite explica que já foi apresentado à vários parceiros, incluindo o Ministro da Educação, que destacou a sua importância, mas não há uma decisão clara em termos de financiamento, excepto da parte da Direcção Geral de Planeamento, Orçamento e Gestão (DGPOC), que afirmou que, neste momento, estão limitados financeiramente. “Estamos a falar de um projecto para ser implementado, pelo menos nesta fase, em São Vicente e na Praia, orçado em 900 contos e que vai abarcar 200 alunos do EBO, sendo 100 no Mindelo e 100 na capital”, enfatiza. 

Mas este é um projecto que extravasa a natação porque prevê, para além do ensino, a realização de provas e de encontros de reflexão, de entre outras actividades. No caso dos encontros de reflexão, de acordo com Silas Leite, seriam realizados sobretudo na Praia onde se pretende lançar as sementes a nível da natação de prevenção. Certo é que, por enquanto, contam apenas com um pequeno apoio de uma das operadoras de telecomunicações, no valor de 80 mil escudos, montante que vai custear as inscrições e os salários dos funcionários. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo