A1Atualidade
Tendência

Soncent acordou ingovernável?

Recapitulemos os resultados na Ilha do Porto Grande saídos da noite eleitoral deste Domingo:Quatro Vereadores para o MpD, três para a UCID e dois para o PAICV. Nove Deputados Municipais para o MpD, sete para a UCID, quatro para o PAICV e um para o MIMS, que aproveitamos para parabenizar pela coragem e sobretudo a ousadia.

É caso para se dizer que a Matimática será complicada, é sobretudo caso para se dizer que nenhum dos atores em liça reunia os atributos para galvanizar este povo de forma abrangente e transversal, pese embora a vontade de mudança que pairou no ar desde o início da campanha.

E nenhum dos atores podendo assim sendo reivindicar para si uma representação consistente e suficientemente maioritária do eleitorado vicentino, o mínimo que se lhes pede é uma enorme humildade no exercício das funções para as quais se apresentou ao sufrágio das urnas, tenha este saído a ganhar ou a perder. Porque vencedores e vencidos não me parece ter havido, ganhou sim a Democracia, ganhou sim São Vicente por ver se expressar livremente a vontade plural do seu Povo.

Sendo essa a realidade saída das urnas, penso eu que pelos atores envolvidos diretamente no processo eleitoral, pelas farpas trocadas durante a campanha e logo a seguir ao anúncio dos resultados, é uma perspetiva realista à qual devemos todos estar atentos e prestar atenção, Soncent pode ter acordado ingovernável.

É claro que o interesse geral deveria falar mais alto e permitir uma Governação Local que pelo simples facto de ser plural já daria aos vicentinos garantias de maior transparência, maior abrangência, melhor foco nos verdadeiros problemas das nossas populações. E, acima de tudo, é meu sentimento, mais assertividade nas necessárias batalhas por mais Autonomia política e administrativa nas Ilhas face a um Poder Central que teima em não concretizar a quebra do atual status quo, isso com o objetivo desta Nação dar o salto que merece rumo ao desenvolvimento sustentável e sustentado de cada uma das suas Regiões e Ilhas!

É que não me parece que a capacidade de negociação política prenhe de humildade individual que teria que nortear esta difícil mas obrigatória negociação que poderia dar corpo a um governo de maioria relativa em SV seja o apanágio de todos os atores envolvidos nessa dita negociação… e ir prevenindo desde já, Soncent não perdoará aquele que resolva tentar transfigurar aquilo que deverá ser uma negociação séria e comprometida em prol do nosso desenvolvimento numa negociata, seja esta de que calibre for!

Soncent terá portanto dois caminhos pela frente neste momento:

1. que os atuais eleitos e cabeças de lista possam chegar a um consenso governativo que forçosamente e necessariamente se traduziria em maiores benefícios para o município e para as suas populações, visto que imbuído e forjado no caldeirão do bem comum vicentino;

2. que esse consenso não seja possível e aí dificilmente poderemos “escapar” a uma ida antecipada às urnas tirar a prova dos 9; Se me perguntarem aquilo que mais desejo, responderia sem hesitações que o consenso seria sem duvidas melhor opção, permitindo que Soncent não pare, não perca tempo e trilhe um futuro diferente e mais abrangente.

Mas se for para retornar às urnas que o façamos, com elevado sentido de responsabilidade em prol do bem desta nossa querida e quão periférica Ilha.

E nesse caso, e aos atores políticos, partidos, movimentos, grupos independentes, que pensem objetivamente só e unicamente no bem deste Povo…! Que tenham em mente aquilo que mais deseja o Povo neste momento e que consigam estar à altura de responder a essa Esperança: a necessária e tão almejada Mudança!!

Que pensem no Povo antes de pensarem em si próprios, quer pessoalmente quer enquanto organizações sejam político-partidárias ou da cidadania ativa.

Que tenham a consciência que mais do que aparecer no poleiro, estão aí para servir os interesses e responder às expectativas dos cidadãos.Que isto não poderá ser cada um por si mas sim Todos por Um, Todos por Soncent.

Por Todos, com Todos, para Todos. Sem partidos e sem amarras, assim se sente realizado o Povo desta Ilha. Que seja feita a Vontade Popular!!!

Alexandre de Novais – cidadão atento

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo