Mundo

Putin anuncia mobilização de militares na reserva e russos tentam sair para fugir à guerra

O presidente Vladimir Putin fez hoje um discurso à nação russa e anunciou a mobilização parcial de militares na reserva para a guerra em curso na Ucrânia, assim como o aumento do fabrico de armamento. Numa resposta ao Ocidente, Putin ameaçou, entretanto, utilizar todos os meios à sua disposição caso a integridade da Rússia for ameaçada, o que pressupõe o recurso a armas nucleares. Assegurou que não está a fazer bluff e lembrou que a Rússia dispõe de armamentos mais poderosos do que os da NATO.

Numa altura em que a guerra está a entrar no sétimo mês, e com o exército russo a enfrentar dificuldades no terreno, Putin anunciou no seu discurso que assinou um decreto de mobilização parcial de militares na reserva para defender a Rússia das “ameaças” e “libertar” Donbass. Fala-se já numa movimentação suplementar de 300 mil pessoas para apoiarem a máquina da guerra na Rússia e se possível no palco da guerra.

Vladimir Putin, que falou por cerca de 15 minutos, assegurou aos “amigos” russsos que os objectivos militares estão a ser cumpridos e que o fim da “operação especial” na Ucrânia está próximo, com várias regiões livres de “nazis”.

O discurso de Vladimir Putin provocou uma corrida a bilhetes de avião de russos decididos a fugir do país. A compra de bilhetes em voos para países com fronteiras ainda abertas esgotaram, mas o pessoal na reserva está proibido de abandonar a Rússia.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo