Economia
Tendência

Patrício Lima, o taxista designer

É taxista, mas Patrício Lima gostaria de passar a trabalhar a tempo inteiro como designer. Há um ano começou a fazer cartões para si e outros colegas de profissão e hoje está abarrotado de pedidos de clientes de algumas ilhas, que lhe solicitam convites para casamento, cartões de apresentação, calendários e logotipos. As encomendas foram tantas em março que mal tinha tempo para respirar.

Segundo este jovem de 28 anos, faz fretes das 7 às 17 horas, chega em casa e começa logo a trabalhar nos desenhos gráficos até meia noite. “Faço o trabalho completo: idealizo, executo, faço a impressão, cortes e envio para os clientes”, assegura.

Tudo começou como uma mera brincadeira. Patrício Lima conta que costumava pedir cartões a empresas profissionais, pagava um valor alto, mas nunca ficava satisfeito com o resultado. Resolveu, então, passar a elaborar os seus próprios cartões. Os colegas taxistas viram, gostaram e começaram a fazer-lhe pedidos. Aos poucos foi ganhando confiança e experiência, até que decidiu aceitar encomendas de outras pessoas e até de empresas. Hoje tem a sua própria página no Facebook, pensa investir em equipamentos e quem sabe passar a dedicar-se apenas a essa actividade.

“O mais gratificante nisso são os jovens empreendedores que me procuram para ajuda-los a fazer um cartão de qualidade. São pessoas que começam a abrir os seus negócio e não têm dinheiro para pagar a um profissional e as ajudo. Fico contente por fazer isso“, comenta Lima, natural de Santo Antão, mas que reside em S. Vicente desde os 7 anos de idade.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo