COVID-19

Cabo Verde inicia vacinação com Pfizer em todas as faixas etárias sinalizadas e como dose de reforço

As estruturas de Saúde já estão a aplicar a vacina da Pfizer como dose de reforço em todo Cabo Verde, bem como nas pessoas de todas as faixas etárias sinalizadas e que ainda não iniciaram a sua vacinação. A informação foi avançada pelo director Nacional a Saúde, Jorge Noel Barreto, numa altura em que 84,6% da população adulta do país já recebeu pelo menos uma primeira dose de imunizante, equivalente a 313266 pessoas. 

Na conferência de imprensa semanal, este responsável de Saúde Pública garantiu ainda que 71,7% dos adultos no país estão neste momento completamente vacinados, representando 265707 pessoas. Quanto às doses de reforço, afirma, só na última semana foram imunizados 8628 pessoas, que se juntam as 15713 até a semana passada. “Neste momento temos 24574 pessoas vacinadas com a dose de reforço, que equivale a 6,6% dos adultos. É preciso que as pessoas aderirem mais a dose de reforço que, a partir de agora, vai ser feita com a vacina da Pfizer. Também informamos que as pessoas que ainda não receberam nenhuma dose de vacina e que queira receber a Pfizer também ja é possível. Podem se dirigir aos centros de vacinação para serem vacinados”, anunciou.

Em termos de vacinação dos adolescentes, prosseguiu, na última semana foram vacinados mais 5786 de adolescentes dos 12 aos 17 anos com uma primeira dose, totalizando 36938 imunizados com a primeira dose, com seja, 62,4%. “A campanha nos adolescentes vai a bom ritmo, embora em concelho de Santiago Norte poderia ser melhor, nomeadamente noTarrafal que tem ainda 48,5% de adolescentes com uma primeira dose, Santa Catarina 34,6% e São Salvador do Mundo 29,3%. Santa Cruz tem 54,4%, mas o concelho com melhor taxa de vacinação a nível nacional é São Lourenço com 90.9% da estimativa dos adolescentes com uma primeira dose.” 

Não obstante o “bom ritmo de vacinação” nesta faixa etária, Barreto voltou a apelar aos pais e encarregados de Educação para que permitam que os adolescentes sejam imunizados, argumentando que a vacina protege da doença grave provocada pelo Sars-Cov2 e suas variantes, nos internamentos, pode evitar de alguma maneira a propagação e reduzir a probabilidade de ter muitos casos positivos nas escolas ou provocar a suspensão das aulas. “Não é desejável para os alunos e nem para os pais porque acaba por atrasar a formação destes adolescentes.” 

Segundo o Director Nacional da Saúde, quando maior o numero de pessoas vacinadas no país, melhor é a proteção e menor a possibilidade do vírus continuar a sofrer mutações ou de surgir mais variantes de preocupação, que são aquelas que acabam por provocar picos de contaminação, casos mais graves e óbitos. Realçou, por outro lado, o facto dos profissionais de Saúde estarem nesta altura extremamente cansados e das actividades continuarem condicionadas por causa dos altos e baixos que vão acontecendo nesta pandemia da Covid-19. 

Quanto à evolução da situação epidemiológica, Cabo Verde registou dois óbitos no concelho da Praia, 167 casos novos e 757 recuperados. JNB aproveitou para rever a informação clinica e retirar da estatística duas mortes registadas em Santa Catarina de Santiago, que ficaram registadas como óbitos por outras causas. Com isso, o país passou a contabilizar 2445 activos, 51509 recuperados, 376 óbitos por Covid-19, 28 por outras causas e 9 transferidos, perfazendo 54367 positivos acumulados. 

Há 75 pessoas internadas nos hospitais de todo o arquipélago, sendo que 15 inspiram mais cuidados. Destes 15 pacientes estão no Hospital Dr. Agostinho Neto na Praia, sendo que seis inspiram cuidados; 18 no Hospital Dr. Baptista de Sousa em São Vicente e três estão em estado critico; 18 no Santa Rita Vieira em ST Norte e 4 demandam mais cuidados; 1 no Ramiro Figueira no Sal, 12 no São Francisco de Assis no Fogo e 1 em situação mais delicada 11 no Dr. João Morais na Ribeira Grande de SA, sendo que uma inspira mais atenção. 

A taxa de ocupação hospitalar está nos 86%. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo