Social
Tendência

Parede do campo de Chã d’Alecrim ruiu com estrondo, mas sem provocar vítimas

Ruiu esta tarde uma parede do campo relvado de futebol de Chã d’Alecrim, provocando um grande susto aos transeuntes e moradores dessa área. Várias pessoas afirmam ter ouvido um estrondo e visto uma grande nuvem de fumaça e há quem diga que sentiu a sua casa estremecer no momento da derrocada. 

Inicialmente, quem estava longe pensou que se tratava de uma trovoada, por causa da chuva. Mas depois ficaram estupefactos ao constatar que o barulho foi provocado pela derrocada dessa parede, que ficava no lado norte do campo.

O incidente não provocou vítimas, mas, segundo Luís Correia, três crianças que estavam em cima da parede conseguiram fugiram antes de serem arrastadas pelas pedras e a terra. Para Josefina, este caso não provocou feridos ou mortes graças a pandemia, e explica: “O campo tem estado encerrado por causa da pandemia, mas, se não fosse isso, certamente que estariam a jogar nesse instante. Além disso, as crianças costumam deslizar na relva com as suas pranchas quando chove. E hoje estariam ali a brincar e nunca se sabe o que poderia acontecer.”

A derrocada, na opinião de Adriano Romualdo e Luís Correia, vem provar que a parede foi mal feita. Na opinião dos dois, tinha que ser construída para resistir ao efeito da água. Segundo Luís Correia, no período da manhã reparou que a parede já começava a dar sinais de ceder. E, na sua análise, isso iria acontecer cedo ou tarde, com ou sem chuva.

Encontrado no local pela reportagem do Mindelinsite, o vereador José Carlos entende que a derrocada deve ter acontecido por causa da chuva intensa que tem caído desde ontem. “Já falei com a Engª responsável pela obra e vamos fazer uma análise para saber o que se passou. Mas, para mim, é o efeito da chuva”, prognostica o vereador. Questionado se a parede não deveria ser construída para aguentar uma enxurrada, José Carlos enfatiza que há factores que muitas vezes escapam ao controlo, mas sem exemplificar. Devido ao risco que a área representa, esta será sinalizada e rodeada de medidas de segurança para se evitar acidentes com pessoas desprevenidas.

Esta derrocada é o incidente de maior vulto registado em S. Vicente com a queda da chuva. Segundo José Carlos, as coisas têm estado a decorrer na normalidade. Até o momento a Câmara de S. Vicente amparou um sem-abrigo e realojou outras duas famílias cujas casas estão em risco de desabar. 

Desde ontem à noite que tem chovido em S. Vicente e a precipitação aumentou de intensidade hoje à tarde. Para amanhã está prevista uma chuvada mais forte, pelo que o vereador José Carlos pede mais prudência às pessoas.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar