Mundo

Icelandair despede todos os tripulantes de cabine

O grupo Icelandair, que lidera a companhia aérea Cabo Verde Airlines, anunciou que despediu todos os seus tripulantes de cabine, após impasse na negociação com a associação Icelandic Cabin Crew sobre as condições de folga dos seus tripulantes. A informação foi veiculada pelo website kiosquedaaviacao.pt, dando conta que a decisão surgiu após “longas negociações” entre as partes, mas que não chegaram a bom porto.

Num comunicado à imprensa, a Icelandair enfatizou que, no dia 8 de julho, os membros da Icelandic Cabin Crew Association rejeitaram um novo acordo que foi assinado entre os comités de negociação das partes. A companhia aérea acrescentou que, embora as negociações tenham continuado após o anúncio dos resultados da votação, agora ficou evidente que uma conclusão mutuamente acordada não será alcançada.

Conforme o referido website, o desentendimento entre as partes começou em junho do ano passado, quando um acordo de negociação coletiva foi assinado pela Icelandair e pela Icelandic Cabin Crew Association. Após a assinatura desse acordo, os membros da Icelandic Cabin Crew Association precisaram votar para rectificar o acordo proposto. A 8 de julho, os membros da Icelandic Cabin Crew Association votaram contra o acordo, o que levou a Icelandair a avaliar suas opções.

Devido ao impacto do COVID-19 no sector de aviação, a Icelandair tem estado a trabalhar na reestruturação da empresa e dos seus activos. Para fazer isso, a companhia aérea precisa chegar a um acordo com as partes interessadas e o governo islandês. As várias partes interessadas incluem sindicatos, Boeing, credores e fornecedores, tendo já sido alcançados acordos entre a companhia aérea e as partes interessadas, o que permite à transportadora aérea receber um pacote de ajuda através de uma oferta de acções.

Entretanto, de acordo com esse órgão, a Icelandair decidiu empregar temporariamente a partir de 20 de Julho os pilotos excedentes para assumir a responsabilidade pelo serviço e segurança a bordo. No entanto, devido a pandemia da Covid-19, acrescenta, o serviço de bordo continuará a ser reduzido.

Já foram alcançados acordos com pilotos e mecânicos de aeronaves. As negociações estão em andamento com a Boeing em relação a futuras entregas, credores, arrendadores e fornecedores.

C/ Kiosquedaaviacao.pt

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar