Mundo

FCP lamenta morte de cabo-verdiano: Alegado homicida é filho do ‘n.º 2’ dos Super Dragões

O FC Porto lamentou a morte do cabo-verdiano Igor Silva, de 26 anos, durante  os festejos do titulo nacional de futebol em Portugal. Em comunicado diz que, independentemente das circunstâncias que venham a ser apuradas, não pode deixar de ser lamentada e endereça sentidos pêsames à família da vitima. O alegado homicida, que se encontra em fuga, é filho do ‘n.º 2’ dos Super Dragões.

Igor Silva foi agredido violentamente na madrugada de ontem, na Alameda das Antas, junto ao Estádio do Porto, por elementos da claque Super Dragões. Imagens divulgadas pelo Correio da Manhã mostram a agressão ao jovem morto à facada.  “No video é possível ver um grande grupo de adeptos a subir para cima de um pré-fabricado, habitualmente usado pelos Super Dragões para guardar mechandise, no top está Igor já a ser agredido”, descreve o jornal, num exclusivo.   

O jovem foi socorrido no local, mas acabou por morrer no Hospital de São João. A namorada do jovem, identificada como Elisabete Pinho, de 25 anos, terá tentado parar com as agressões também ficou ferida, mas sem gravidade. 

O principal suspeito da morte do jovem está em fuga. Trata-se de Renato, tem 19 anos, e terá disferido a facada que matou Igor, após uma serie de agressões violentas. É filho de Marco, conhecido por “Marco Orelha”, o número dois da claque dos Super Dragões e também está em fuga, noticia o mesmo jornal. 

A vítima e o suposto agressor conheciam-se e já se tinham envolvido em escaramuças em Lisboa. Igor Silva terá atirado pedras a Marco Orelhas e depois fugiu.  Quando chegaram ao Porto, a claque foi confrontar o jovem. A briga generalizou-se e acabou com Igor Silva esfaqueado mortalmente. 

C/CM e CNN

Mostrar mais

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo