Mundo

Encontrados corpos de jornalista e activista assassinados na Amazónia

Os corpos do jornalista britânico Dom Philips e do activista brasileiro Bruno Pereira foram encontrados numa zona remota da Amazónia, no local onde um dos suspeitos conduziu os agentes federais depois de ter confessado os crimes. As autoridades acreditam que se são os restos mortais de Phillips e Pereira, apesar de os corpos ainda terem de ser identificados. A Polícia Federal garante que existe um terceiro suspeito

Numa conferência de imprensa do Comité de Gestão de Crise, realizada no estado de Manaus, o superintendente regional da Polícia Federal, Eduardo Fontes, indicou que Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado, assumiu voluntariamente a sua participação no crime. Para além disso, Pelado comprometeu-se a mostrar onde cometeu o duplo assassinato.

“Amarildo da Costa de Oliveira resolveu confessar a prática criminosa. Explicou com detalhes e apontou o local onde havia enterrado os corpos. Saímos de manhã cedo para o local e procedemos à reconstituição do crime. Depois fomos para a zona onde o detido disse que havia enterrado os corpos  no Vale do Javari e onde havia afundado a sua embarcação”, revelou Alexandre Fontes.

O Vale do Javari foi referido como sendo uma zona de acesso “bastante complicado” o que tem atrasado o processo, admitiu Eduardo Fontes. “O objectivo era encontrá-los com vida”, disse o delegado da Polícia Civil, Guilherme Torres, enviando condolências às famílias do jornalista e do activista. Este revelou ainda que existe um terceiro suspeito do crime.

A investigação da Polícia Federal destacou ainda que um suposto financiamento da actividade ilegal de pesca e caça e o narcotráfico na região são o pano de fundo do crime. Pelado indicou que a embarcação onde viajavam as duas vítimas foi afundada propositadamente com sacos de terra – para além do motor que foi arrancado.

Os alegados autores do assassínio são os irmãos pescadores Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, e Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como “Dos Santos”. O primeiro foi detido na semana passada e foi considerado o principal suspeito e o segundo foi detido na terça-feira.

Dom Phillips, jornalista e colaborador do jornal The Guardian, e Bruno Araújo Pereira, activista dos direitos indígenas, estavam desaparecidos desde 5 de Junho, no Vale do Javari, região remota e de selva na Amazónia brasileira perto da fronteira com Peru e Colômbia, onde realizavam uma investigação sobre ameaças de invasores e criminosos contra os indígenas.

C/Publico.pt e Globo.com

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo