DesportoEscolha do Editor
Tendência

IDJ solidário com Lenine, Junior e Fred: “Reivindicação válida”

O Instituto do Desporto e da Juventude manifestou em comunicado a sua solidariedade com os atletas Lenine Mendes, Junior Soares e Fred Wilson, que se mostraram desiludidos e indignados com a decisão do CCV de lhes negar o visto de entrada na Europa para o estágio da pre-selecão de andebol para o Mundial Egipto-2021. Na nota, o IDJ afirma que a reivindicação dos atletas é válida e a indignação dos mesmos é tambem a do proprio Instituto. “… pois é a concretização de um sonho tanto para os atletas, para o país, para os cabo-verdianos e para o IDJ, I.P. também.

Conforme esta entidade, estava ciente que, na preparação para o estágio em Portugal, que decorre de 2 a 8 de Novembro, um dos maiores desafios seria a questão dos vistos. Por isso solicitou um encontro com as autoridades portuguesas, junto com o ministro do Desporto, para poder preparar todos os documentos necessarios e assegurar o sucesso do processo, sendo essa uma missão oficial. Entretanto, prossegue, no dia 30 de Outubro, véspera da partida para Portugal, o IDJ recebeu a informação de que foram colocados vistos somente a parte da Delegação e rejeitados os dos atletas.

Deste modo, o IDJ manifesta a sua solidariedade com os tres jogadores e garante que fara “tudo” para esclarecer essa situacão com as entidades competentes, “de forma a assegurar que casos do género não se repitam”.

Este comunicado, como frisa o IDJ, surge devido as noticias veiculadas na comunicacão social sobre o sucedido, mas, para muitos internautas, melhor seria se essa instituicao ficasse calada. Por exemplo, Carlos Santos critica a comunicacão e marketing do IDJ e relembra que ha muito tempo que os atletas cabo-verdianos vem sofrendo por causa dos vistos para a Europa. Para ele, este caso revela um “elevado amadorismo” do IDJ e enfatiza que, para uma seleção que vai representar um país numa prova mundial (a primeira vez na nossa história), esperava-se muito mais.

Para Adilan Evora esse comunicado era dispensavel. “O que precisamos é de ação. Muito falar bonito e pouca ação”, diz, acentuando que o pior é que o IDJ estava a prever essa situacao e não fez nada para a contornar em tempo util.

Dupla Rocha considera o comunicado “estoria para boi dormi”. A seu ver, as autoridades não fizeram nada e isso veio mais uma vez provar que o desporto em Cabo Verde éuma farsa por motivos diversos, um deles a “incompetencia” de quem gere o sector.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo