Desporto
Tendência

Clubes de futebol de SV contra a retoma das actividades desportivas: “Sem condições”

Os clubes de futebol de S. Vicente consideraram num encontro com a ARFSV que ainda não estão reunidas as condições mínimas para a retoma das actividades desportivas. Os responsáveis do Amarante, Mindelense, Académica, Farense, S.Pedro, Uni Mindelo, Falcões do Norte, Ponta d’Pom, Corintians, Derby, Calhau, Castilho dizem entender que há alguma ansiedade no seio dos atletas e da sociedade, mas que não aceitam participar nas competições a “qualquer custo”.

Os clubes, conforme dizem em nota à imprensa, tomaram essa decisão após uma reflexão séria, responsável e fundamentada depois de analisarem o quadro sanitário, as condições financeiras que atravessam e das infraestruturas. Esta posição, dizem, foi assumida tendo em vista a Assembleia-Geral Ordinária da FCF agendada para o dia 19 de Dezembro e cuja ordem de trabalho tem como assunto central a retoma das actividades desportivas.

Os emblemas futebolísticos garantem que querem ser parte da solução do problema gerado pela pandemia, mas admitem que passam por uma situação financeira precária, ou mesmo em falência, o que os impede de arcar com responsabilidades financeiras decorrentes da aplicação das medidas de prevenção à Covid-19 para efeito de retoma dos jogos. Deste modo, propõem a definição, conjuntamente com as entidades competentes, de um plano com as condições críticas a nível sanitário, infraestruturas e financeiro, com definição do calendário de execução, orçamentos e responsabilidade financeira. 

Segundo César Lima, presidente da ARFSV, neste momento o campo do estádio Adérito Sena continua em obras e o Centro de Estágio foi transformado em hospital de campanha devido a Covid-19 pelo que não há como realizar as provas. Além disso, prossegue, houve um encontro com o Delegado de Saúde de S. Vicente e este deixou claro que este momento é inapropriado para a retoma dos jogos. Isto poderá acontecer lá para Fevereiro, se o quadro epidemiológico melhorar, mas os atletas teriam que fazer testes.

O presidente da ARFSV salienta que os clubes acordaram a sua posição num encontro à parte e que ele, enquanto representante dos associados, vai comunicar essa medida à Federação Cabo-verdiana de Futebol na próxima assembleia-geral.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo