Desporto

Cabo Verde marca aos 90 minutos e leva “Adérito Sena” ao rubro

Ryan Mendes marcou aos 90 minutos contra as “Águias Africanas” no estádio no Adérito Sena e deu uma importante vitória para Cabo Verde, novamente ao cair do pano em tudo similar ao jogo da quinta-feira, disputado no Gana. Com esta vitória suada e sofrida, Cabo Verde soma sete pontos, cimenta o segundo lugar no grupo C e continua a alimentar o sonho de estar no play off para o Mundial de 2022 no Qatar.

Foi um jogo tenso com os jogadores de Cabo Verde e da Libéria a lutarem para vencer, sobretudo na segunda parte. A vitória dos Tubarões Azúis foi arrancada no último minuto do jogo. Ganhou a equipa que mais atacou e melhor soube a aproveitar o regresso do público ao estádio. Mas o resultado superou de longe a exibição de ambas as equipas e Ryan, o autor do golo, soma agora 12 bolas na rede pela Seleção Nacional.

Para Bubista, Libéria foi um adversário muito difícil, o que acabou por valorizar ainda mais esta vitória de Cabo Verde, sobretudo depois e uma longa viagem. “É difícil fazer dois jogos em três dias, com uma viagem pelo meio. Mas queríamos ter certeza de que a nossa equipa terminaria o jogo por cima e com uma vitória. Era o mais importante”.

O selecionador nacional destacou ainda o facto de Cabo Verde continuar a sonhar com a qualificação e prometeu lutar até o fim. “Temos mais alguns jogos que são extremamente difíceis, mas vamos tentar fazer o nosso melhor e chegar ao jogo com a Nigéria com possibilidade de qualificar. Este é o nosso objectivo. Perdemos pontos nas primeiras jornadas, mas ninguém fica de fora e nem se qualifica em duas jornadas. Estamos de pé e devemos ser dos poucos países a conquistar seis pontos nestas duas jornadas”, acrescentou, aproveitando para parabenizar toda a sua equipa.

Emocionado, Bubista admitiu que os Tubarões Azúis estavam a dever à São Vicente esta vitória, desde a anterior jornada. “Esta prenda é para todos os cabo-verdianos, residentes e no exterior, porque sabemos que neste momento devem estar contentes e orgulhosos de Cabo Verde. E nós estamos aqui para fazer tudo e mais alguma coisa para levar o nosso país mais para frente”, acrescentou, aproveitando para falar das conquistas e dos constrangimentos no seu primeiro ano à frente da selecção, decorrentes da pandemia e das muitas lesões que afastaram jogadores de peso.

Desabafo do Capitão

O capitão Marco Soares, que acompanhou o treinador Bubista na conferência de imprensa, pediu um forte aplauso, mais empatia e uma maior valorização dos jogadores pelo grande esforço desenvolvido, independentemente das condições. “Este esforço tem de ser valorizado porque temos conseguido grandes feitos. Conseguimos duas vitórias que vieram do coração. Foi muito complicado porque no jogo contra a Libéria, no Gana, sequer tivemos um campo para treinar. Depois jogamos às 13h com 30 graus sobre as nossa cabeças,” desabafou.

Lembrou ainda que, logo após o jogo, iniciaram a viagem de regresso. A Libéria chegou aqui com dois dias de antecedência, enquanto que a seleção de Cabo Verde estava ainda ontem, às 6 horas, no aeroporto de Lisboa para jogar este domingo, uma partida importante para as aspirações do pais de qualificação para o mundial. “Estamos em uma luta até a final, mas tudo graças a união, coesão deste grupo e a toda a paixão que temos por Cabo Verde. Se não tivéssemos marcado no último minuto, neste momento estavam a falar coisas que não gostamos de ouvir. Mas temos de manter o equilíbrio porque, em primeiro lugar, está esta nossa paixão e amor por Cabo Verde.”

Toda esta luta, diz, visa levantar o nome de Cabo Verde, não apenas no futebol, mas em todas as modalidades desportivas. Por isso, pediu um olhar diferente, lembrando que o desporto é o maior veículo de publicidade do país e ajuda a educar as crianças, que se espelham no Ryan, Marco Soares, Babanco, e tantos outros. “Este é o caminho que temos de mostrar as nossas crianças. Mas, para isso, temos de apoiar e valorizar o desporto.”

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo