Cultura
Tendência

Antologia Lusófona – Língua e Voz apresentada hoje ao público no Centro Cultural do Mindelo

A Antologia Lusófona – Língua e Voz será apresentada hoje ao público no Centro Cultural do Mindelo com a presença de alguns dos escritores que enriquecem a obra com os seus poemas. O evento está agendado para as 18 horas e 30 minutos, com apresentação do trabalho por Otelma Borges, perante os autores cabo-verdianos Manuel Alberto Centeio, Alícia Borges e Zuleica Alves, além do moçambicano Júlio Silva.

Alícia Borges foi convidada a participar nesse livro por Manuel Centeio, ele próprio um dos autores da antologia, trabalho coordenado pelo escritor Carlos Margarido e que compila 105 poemas de 35 poetas de sete países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.

Abordada pelo Mindelinsite, Alícia Borges confessa que esta é a primeira vez que participa duma antologia. Para esta autora nascida em S. Vicente, o facto de o livro abranger 7 países de 3 continentes já dá uma projeção bem alargada. “Sou sortuda e sinto-me honrada de colaborar com um grupo tão diverso de autores. Para mim é fantástico!”, exclama Borges Mansson, formada em línguas e literatura em Lisboa, com mestrado em Educação feito em Estocolmo, e que escreve poesia esporadicamente “com versos que lhe vêm da alma”.

Nascida também em S. Vicente, Zuleica Alves entrou nessa antologia a partir de um convite do autor Antonino Robalo. Segundo a poetisa, esta é a quarta vez que participa em trabalhos do género lançados pela mesma editora.

Para este trabalho enviou os poemas “Roubaste-me o céu”, “Não me julgas” e “O teu sorriso” e a sua expectativa é que os leitores possam adorar o resultado global dessa antologia e que venha a ser convidada para outros trabalhos similares.

Habituada a colocar no papel os seus pensamentos e emoções desde criança, Alves tem estado a preparar o lançamento do seu primeiro livro a solo. Ainda não tem data marcada, mas tem estado a ser incentivada por várias pessoas. Como admite, falta apenas sentir-se mais motivada para finalizar a obra.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo