Social

Técnico Bubista lamenta morte do amigo Dukinha: “Um dos melhores médios de Cabo Verde dos últimos tempos”

A notícia da morte de Dukinha, vítima de um acidente de viação ocorrido esta madrugada na estrada do aeroporto internacional Cesária Évora, deixou desnorteado o técnico Bubista, que tinha uma relação de pai/filho com esse ex-futebolista dos clubes Derby, Mindelense e Falcões do Norte.

Para o treinador dos “tubarões-azuis”, Dukinha era um médio de categoria, dotado de uma inteligência e visão de jogo excepcional, um dos melhores nessa posição em Cabo Verde. “Posso dizer que ele era dos melhores médios que tivemos em Cabo Verde nos últimos tempos. Além disso ele conseguia jogar noutras posições”, enfatiza Bubista, que foi treinador do malogrado atleta.

O técnico afirma que manteve um relacionamento muito próximo com Dukinha, jogador que, diz, fazia questão de dar todo o seu apoio à seleção nacional de futebol, vencendo ou perdendo. “Ele era dos poucos que assumia as dores da seleção no Facebook quando não conseguíamos o resultado esperado”, ilustra.

Dukinha, prossegue Bubista, costumava saber como ia a equipa e teve a preocupação de visitar os colegas da seleção nos bastidores e no hotel no final dos jogos com Nigéria e Libéria, partidas a contar para o apuramento para o Mundial 2022. “Sofremos uma perda enorme, porque ele era antes de tudo um indivíduo cordial, amigo de toda a gente, um filho para mim”, lamenta Bubista, lembrando que Dukinha foi campeão pelo Mindelense e o Derby.

Dukinha e Dany, dois jovens futebolistas mindelenses que viram as suas vidas ceifadas em acidentes de viação.

No entanto, Dukinha começou o seu percurso desportivo no plantel do Falcões do Norte, clube de Chã de Alecrim, localidade onde cresceu. Após encerrar a carreira, Dukinha regressou às origens, pois era treinador-adjunto da equipa verde e branca.“A morte do Dukinha relembra-nos a fatalidade que aconteceu com o nosso amigo e guarda-redes Dany, falecido num acidente de viação em Santo Antão”, lamenta João Dias, presidente do Falcões do Norte, que descreve Dukinha como uma “pessoa incrível”, cordial e amável. Como atleta, adianta, destacava-se pelo seu nível técnico, visão de jogo, discernimento e capacidade de mudança de velocidade quando imprimia intensidade nos lances de ataque.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo