Mundo

Israel: Tumulto em festival religioso deixa 44 mortos e mais de 100 feridos

O balanço de um tumulto em um festival religioso esta sexta-feira, 30 de abril, em Israel aponta para 44 mortos e mais de 100 feridos. Há crianças entre as vítimas.

“Infelizmente, encontramos crianças pequenas pisoteadas”, afirmou Eli Beer, diretor de um serviço voluntário de ambulância, a uma rádio local. “Conseguimos salvar algumas delas”.

Os feridos foram levados a hospitais em todo o país. Seis pessoas estavam em estado crítico e 18 em estado grave, segundo o serviço nacional de ambulâncias. Cerca de 100 mil pessoas — a maioria judeus ortodoxos — participavam da celebração Lag B´Omer, o maior evento desde o controle da pandemia do coronavírus em Israel.

As primeiras informações apontam que uma arquibancada de metal desabou. Órgãos de saúde israelenses dizem que as vítimas morreram pisoteadas após um tumulto. Vídeos e testemunhas revelam que a tragédia ocorreu em uma passagem estreita, de cerca de três metros de largura, devido ao grande volume de pessoas no local.

As famílias tentam encontrar parentes desaparecidos e ligam para seus celulares, que foram abandonados no local. “Os telefones dos mortos não param de tocar e vemos ‘mãe’ e ‘minha querida esposa’ na tela”, afirmou Motti Bokchin, porta-voz de um serviço de emergência à Rádio do Exército.

O primeiro-ministro foi ao local da tragédia e classificou-a como um “pesado desastre”. “Estamos todos orando pelas vítimas”, afirmou Benjamin Netanyahu, que declarou o domingo um dia de luto nacional.

Festival judeu

O Lag B´Omer é um feriado em homenagem ao rabino Simon Bar Yochai, um religioso do século II cujos restos mortais estão enterrados no Monte Meron. Marca o início da retomada das grandes celebrações religiosas ou não em Israel, país que conseguiu controlar a Covid-19 com uma das vacinações em massa mais rápidas do mundo. Isto numa altura em que o país já retornou à normalidade pré-pandemia da Covid-19.

C/Globo.com

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo