Economia
Tendência

Velejadores do rally ARC+ gastaram à volta de 10 mil contos em 6 dias na cidade do Mindelo, aponta estudo de alunos do ISCEE

Os velejadores da regata ARC+ gastaram em novembro passado à volta de 10 mil contos em transportes, restauração e compras diversas durante os seis dias que fizeram escala na cidade do Mindelo. Este valor foi apurado num inquérito realizado por alunos do Curso de Turismo do ISCEE, que abordaram 216 marinheiros seniores, tendo excluído as crianças desse estudo. Além disso, os estudantes recolheram outros dados como a nacionalidade, país de residência, motivação para participar na regata…

Para o professor Américo Lopes, esse montante é satisfatório, tendo em conta o número de pessoas envolvidas e o tempo da estadia. Por isso acha que esse tipo de actividade deve ser estimulada por forma a aumentar tanto o número de veleiros como a permanência. Aliás, este modelo poderá ser repetido com os velejadores da famosa corrida Volvo Ocean Race, que é esperada em S. Vicente no próximo ano, se houver apoio das entidades.

As informações sobre o impacto económico da regata Atlantic Rally for Cruises + 2021 serão detalhadas durante a semana da licenciatura em Gestão e Planeamento em Turismo, que começa esta tarde na ilha de S. Vicente, na Câmara do Comércio de Barlavento. Além disso serão apresentados os resultados de um outro estudo, este sobre o estado de empregabilidade dos ex-alunos diplomados pelo Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais. Os dados indicam, segundo Lopes, que a maioria dos formados está a trabalhar, embora nem todos na sua área de formação.

Esta segunda edição da semana decorre de 13 a 21 de maio tendo como foco a divulgação de dados científicos produzidos no decurso dessa formação superior para a comunidade académica, turística e destinos. “A semana acontece todos os anos, sendo uma actividade instituída pelo ISCEE. Neste âmbito, cada curso escolhe a sua semana com a realização de actividades lúdicas dentro e fora das salas de aula”, informa Américo Lopes, coordenador do curso.

Conforme o programa, haverá ainda a apresentação do projecto Observatório do Turismo do ISCEE, dados sobre o perfil dos visitantes do Centro de Interpretação Turística das ilhas de S. Vicente e Santo Antão, o estudo “Passeio Alma das Ilhas”, implementado pelo Ministério da Cultura. O objectivo, conforme Américo Lopes, é ajudar a melhorar a experiência turística dessa iniciativa, que consistiu na colocação do nome de vários artistas nacionais no passeio da Rua de Lisboa, em S. Vicente. Para o efeito foi criada uma plataforma onde constam informações em português, francês e inglês sobre as figuras homenageadas.

Está ainda contemplada na semana do curso do turismo uma apresentação sobre o Parque Natural de Monte Gordo e suas potencialidades. Foi programada, nesse sentido, uma caminhada que visa proporcionar aos participantes a possibilidade de conhecerem os recursos e atrações turísticas da ilha de S. Nicolau.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo