Economia
Tendência

TICV afirma que reabertura vai impulsionar movimento doméstico

A Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV) vê a reabertura do país a voos internacionais comerciais como um novo impulso ao movimento doméstico. A administração espera sentir os efeitos ainda este ano de 2020. “Foi com entusiasmo que recebemos a notícia da abertura do país a voos internacionais, aumentando as expectativas da TICV de que o movimento doméstico ganhe novo impulso até ao final do ano”, considera Marina Ferreira, Diretora Comercial da companhia aérea de Cabo Verde.

Depois de mais de 3 meses e meio de ligações internas suspensas por decisão das autoridades para conter a progressão da pandemia de covid-19, a TICV retomou a 15 de Julho os voos domésticos, registrando-se um crescimento progressivo no número de passageiros transportados.

Contudo, o movimento de passageiros permaneceu muito abaixo dos níveis anteriores à covid-19, nomeadamente devido à suspensão das ligações aéreas internacionais desde a segunda quinzena de março. Marina afirma que a reabertura a este tráfego terá um peso enorme na operação da TICV.

A TICV estima que cerca de 40% dos passageiros que transportou em 2019 entre as ilhas foram provenientes de voos internacionais. “Nota-se um crescimento, lento, da procura, que está ligado à ainda falta de turistas e ao actual panorama económico que o país e o mundo atravessam”, reconheceu.

Esse aumento esperado do número de passageiros, diz, provocará mais oferta por parte da TICV, assim como opção de ligações a voos de outras companhias internacionais que estão a operar no momento. E já há sinais positivos, apesar de conjuntura global menos positiva, desde logo face ao movimento ainda muito abaixo do ocorrido em meses análogos, frisa. 

“Verifica-se, no entanto, que a confiança dos passageiros têm aumentado a cada dia e que os procedimentos como uso de máscara em todas as áreas dos aeroportos, o controle sanitário à entrada dos aeroportos, o distanciamento social assim como higienização e etiqueta respiratória já se tornaram processos habituais, o que traz maior agilidade no tratamento de passageiros e bagagens nos aeroportos, minimizando os constrangimentos pontuais que ocorreram no reinício das operações a 15 de Julho”, sublinhou.

Além do crescimento gradual de número de passageiros,  a diretora Comercial garante que o nível de pontualidade e regularidade está a voltar aos parâmetros habituais anteriores à pandemia, sendo fundamental o preenchimento atempado pelos passageiros do formulário sanitário a ser entregue à entrada do aeroporto, de preferência por via online.

A TICV, recorda-se, assinalou há um ano o milhão de passageiros transportados em Cabo Verde. Antes da pandemia assegurava as ligações aéreas de passageiros para sete ilhas do arquipélago, com nove diferentes rotas, operadas por três ATR-72 500, com capacidade para 72 passageiros. Estas operações têm sido progressivamente recuperada desde 15 de Julho.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo