Economia

Técnicos da AAC na Islândia para certificar avião da CVA

Técnicos da Agência da Aviação Civil (AAC) estão na Islândia para certificar um avião da Cabo Verde Airlines (CVA), colocado há um ano em situação de armazenamento. A informação foi avançada pelo presidente da companhia aérea, informa a site Newsavia, que cita agência de notícias Lusa. Toda esta azáfama deixa claro a preocupação do Governo com possíveis consequências da falta de avião no país, lembrando que foi o arresto do avião na Holanda em 2016 que deu a vitória ao MpD nas legislativas de 2016.

Segundo Erlendur Svavarsson, os técnicos encontram-se em Keflavik juntamente com tripulantes de voo da CVA e que depois de concluída a quarentena obrigatória “vão iniciar o processo necessário para retirar a aeronave do programa de armazenamento em que se encontra” e regressar ao arquipélago. “E posteriormente, o processo de emissão de um novo certificado de aeronavegabilidade será tratado pela AAC. O plano será então trazer o avião para Cabo Verde”, afirmou, sem concretizar datas.

Este responsável deixou, no entanto, claro que a retoma dos voos comerciais pela CVA, suspensos há mais de um ano vai depender da abertura das fronteiras e das autorizações de viagens nos vários países. “A maioria dos principais mercados das companhias aéreas está atualmente fechada devido à quarta onda de covid-19”, enfatizou.

Em março de 2019, o Estado vendeu 51% da então empresa pública TACV por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (grupo Icelandair, que ficou com 36% da CVA) e em 30% por empresários islandeses com experiência no setor da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada).

A CVA operava antes da pandemia com três aviões Boeing 757-200ER fornecidos em regime de leasing pelo grupo Icelandair, que lidera a companhia cabo-verdiana. Todos foram deslocados em março de 2020 para Miami, nos Estados Unidos, e colocados em situação de armazenamento devido à suspensão da atividade comercial, provocada pela pandemia.

Entretanto, o Boeing com a matrícula D4-CCG, batizado com o nome de “Baía de Tarrafal”, foi levado a 12 de março último para o aeroporto de Keflavik, na Islândia. O mesmo aconteceu em 20 de dezembro passado com o Boeing com a matrícula D4-CCH, batizado com o nome “Fontainhas”.

Fonte: Newsavia.com

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo