Economia

Kavala Fresk Feastival reinventa e se apresenta recheado de novidades na sua Xª edição 2022

A Xª edição do Kavala Fresk Feastival, que se realiza nos dias 8 a 10 de julho, está recheada de novidades em termos de programação, mas também porque veste agora uma capa de solidariedade, através do movimento re-food que faz apologia do não desperdício de alimentos. Mas este “banquete cultural”, servido anualmente no Mindelo e que tem a cavala como rainha, é também emoção porque relembra a saudosa Samira Pereira, que fez parte e percebeu a importância deste evento durante várias edições, e homenageia a eterna Lili Freitas no seu Karnavalia. 

Josina Freitas, que optou por não falar das dificuldades da organização do KFF, atribui a realização deste evento a força das pessoas que fazem e sentem este festival. Por isso, diz, a imagem escolhida este ano são retratos do povo. “São todos juntos e incrustados que dão ao KFF esta força. Não havia nenhuma outra imagem melhor para representar esta Xª edição, que é um momento importante para nós. O número 10 é associado a fortuna mas, a nível dos eventos, é a consagração. E se o KFF hoje é reconhecido e faz parte da agenda cultural do país e por causa das pessoas”, declarou, que diz estar consciente da importância económica, social e cultural deste festival que conquistou São Vicente.  

Em termos de programação, no que tange a gastronomia destaca-se o “Pexe ne prot” com participação dos restaurantes nos seus espaços próprios e que irão oferecer almoços, jantares e cafés aos visitantes nos três dias do festival. Serão, entretanto, fechadas duas ruas do Mindelo – Rua de Matijim e Sena Barcelos -, que terão esplanadas para rentabilizar os negócios e dão uma outra dinâmica ao festival. “Teremos ‘ Peixe na braza’ num novo formato, mas com o mesmo conceito. Desafiamos as peixeiras a inovar, junto com o KFF, naquilo que apelidamos ‘Da pedra ao prato’, em que os clientes podem escolher o seu peixe, que será preparado e poderão almoçar dentro do Plurim”, explica São Delgado.

Relativamente ao Kavala Cooking Show, de acordo com São Delgado, trata-se de um encontro de sabores, texturas e paladares em que são chamados profissionais e amantes de gastronomia para apresentar os seus saberes. Este ano o convidado é o embaixador Luís Fonseca, um dos incentivadores deste evento e que vai cozinhar para 50 pessoas no dia 8 de julho, no Gare Marítimo. “Teremos no Play várias actividades e com uma dinâmica diferente. Vai acontecer a partir da Lajinha, onde serão realizadas as actividades náuticas: natação, surf, entre outros. Teremos ainda no mesmo espaço Teqball Challange, uma competição entre atletas de São Vicente e Santo Antão nos dias 9 e 10 de julho”, indica. 

Dentro da programação Play, está previsto ainda a realização de um triatlo no dia 10 de julho, basquetebol com lançamento e jogos de equipas sub-14. Ainda: Kavala na mei de Mar e Karnavala, esta última uma forma de permitir os grupos carnavalescos angariar algum recurso, misturando gastronomia, música e carnaval. “O Karnavala é um dos pontos altos do KFF. É o único palco musical deste festival. Vai se localizar atrás do MindelHotel e presta uma homenagem a figura do Carnaval de São Vicente e que faz parte da nossa memória, historia e vivencia, eterna Lili Freitas.”

A programação deste festival destaca o LAB com rodas de conversa sobre o mar e a alimentação no geral na Praça Nhô Roque no dia 9, em parceria com a FAO e outras organizações não governamentais. Esta é, diz São Delgado, a parte mais cientifica do KFF porque serão debatidos questões de interesse sobre as regras da pesca. Outro ponto é a ‘Monta de K’mida’, uma exposição de venda de marcas e produtos gastronômicos nacionais, desde vinhos, queijos e outros, durante os três dias do KFF. 

O momento de descontração é na rubrica ‘Família’ com um Stan-up Kavala na Avenida Marginal nos dias 9 e 10, às 16 horas, e Kavala Vintage Car em que as pessoas são convidadas a passear nos carros clássicos da ilha, junto com o proprietário da viatura em troca de um quilo de alimentos. “Os produtos recolhidos serão depois distribuídos para a equipa de saneamento da CMSV, parceiros imprescindíveis do Kavala Fresk Feastival. É a nossa forma de retribuir aquilo que esta equipa faz em todos os eventos na ilha, sem pedir nada em troca”, enfatiza São Delgado, lembrando que o festival arranca na sexta-feira às 18 horas com o Kavala Mod, com bailarinos que vão dar o pontapé de saída no Plurim.

Sobre a iniciativa re-food, Josina Freitas explica que, normalmente, todos os restaurantes têm excedentes, que são descartados. O que se pretende, diz, é reaproveitar todos os alimentos, sobretudo tendo em conta que muitas famílias precisam. “Todos os restaurantes nossos parceiros acordaram nos comunicar, no fim do evento, os seus excedentes, que serão recolhidos pela CMSV. Estes serão posteriormente tratados por um Chef, que se comprometeu a ajudar a modificar e trabalhar os excedentes, de forma a que cheguem às famílias que dele precisam”, remata.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo