Economia

FIC 2022: Instituições e empresas se mostram na esperança de expandir e de fazer “bons negócios”

As empresas e instituições que aderiram a esta 25ª edição da Feira Internacional de Cabo Verde, algumas delas pela primeira vez em São Vicente, se mostram expectante e esperançosos quanto aos resultados desta exposição, com duração de quatro dias. Em conversa com Mindelinsite, estas admitem que esperam elucidar e esclarecer os operadores econômicas desta região sobre os seus objectivos e, porque não, expandir para a região norte e fazer “bons negócios”.

É o caso da Lacto Serra, que traz o seu premiado produto no concursos “Queijos de Portugal” 2021. Miguel Santos diz que veio para a FIC para mostrar os seus produtos e pesquisar novos clientes, principalmente na ilha de São Vicente e por todo o restante arquipélago. “O nosso produto já está a ser comercializado em Santiago e com boa aceitação. Queremos agora expandir para São Vicente. As nossas expectativas são altas e esperemos que se concretizem. Estamos confiantes porque somos um produto premiado de qualidade. Acredito que estamos preparados para satisfazer os cabo-verdiano.”

PCA Samira Duarte, administradora, Nilda Gonçalves e funcionárias da ARAP

Entre portas, a Autoridade Reguladora das Aquisições Públicas (ARAP), também ela uma estreante na FIC -SV, explica que o objectivo de estar aqui é para chegar mais perto dos operadores económicos desta região. “Queremos mostrar que a ARAP é uma autoridade da regulação que não se preocupa apenas em regular as entidades públicas, mas também mostrar as entidades privadas, portanto operadores económicos, que também formamos. Viemos mostrar como podem participar em todos os concursos públicos que por exemplo o Governo disponibiliza”, declarou a presidente do CA, Samira Duarte, realçando que, para além de formar e informar, a autoridade emite pareceres e tira dúvidas. 

Estamos aqui para esclarecer os operadores e mostrar que podem recorrer a ARAP quando se sentirem insatisfeitos, por exemplo. Queremos cobrir todo o Sistema Nacional de Contratação Pública. É este o nosso objectivo com esta participação na FIC, pela primeira vez em SV”, acrescenta. Samira Duarte afirma que neste momento têm contactos com algumas empresas da ilha, porque também relacionam com a Câmara do Comércio de Barlavento. “Nos procuram essencialmente para tirar duvidas e para emitir pareceres quando vão participar de algum concurso e deparam com dificuldades.”

Mostruário da Emprofac

Alargar os conhecimentos sobre a Emprofac é também o mote para a presença desta empresa nacional na FIC. De acordo com a sua Directora Comercial, Leila Miranda, a percepção que as pessoas têm é que a Emprofac limita-se a distribuir medicamentos. “Para além dos medicamentos, oferecemos uma vasta gama de produtos que oferecemos. Temos produtos para dermatologia, cosméticos, suplementos alimentares, produtos de higiene e beleza, e ainda alguns kit que vão ser apresentados agora no mês de dezembro e que são direccionados para crianças compostos por gel de banho, água de colônia e um brinde ou brinquedo. Temos também produtos da área de ortopedia, designadamente colares cervical, coletes, canadianas, cadeiras de rodas e andarilhos, e, na área hospitalar, acessórios, seringas, material de sutura, reagentes, produtos de laboratório, de entre muitos outros”, enumera. 

É tudo isso e muito mais que a Emprofac espera mostrar nesta 25ª edição da Feira Internacional de Cabo de Verde, que tem como lema “25 anos criando oportunidades de negócios em Cabo Verde” e termina no sábado, com a Gala Empresarial da Câmara do Comércio de Barlavento.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo