DesportoEscolha do Editor

Remodelação do “Adérito Sena”, orçada em 94.000 contos, começa já na segunda-feira

Dentro de cinco meses, a contar desta segunda-feira, o estádio Adérito Sena estará dotado de novas valências e preparado para finalmente receber jogos internacionais, em particular os dos “Tubarões-Azuis”. Ontem à tarde foi descerrada a placa inaugural da primeira fase das obras de remodelação do campo de futebol e, segundo o Eng. Hernano Santos, já na segunda-feira começará a demolição de paredes.

“No primeiro mês temos de afinar o projecto de arquitectura e, após a sua aprovação pelo dono, iniciaremos o processo de importação de materiais. Cinco meses é um prazo curto e temos ainda de levar em conta os constrangimentos provocados pela pandemia, que tem estado a afectar a construção civil”, frisou o representante da Sina Construções, empresa vencedora da empreitada. Apesar disso, a construtora promete engajar-se e ultrapassar as barreiras para poder cumprir o prazo. 

Nesta fase, a intervenção será basicamente na bancada norte, isto é, na zona da tribuna. O edifício vai ganhar novas áreas e outras melhoradas. O projecto contempla 4 balneários destinados às equipas, além de outros para o público. No piso zero, os corredores de acesso às 4 casas-de-banho terão uma melhor ventilação e iluminação naturais, a cabine de arbitragem terá mais conforto e uma casa-de-banho privativa. O primeiro andar vai passar a dispor de dois espaços VIP, sala de trabalho, dois sanitários, espaço médico e outro de controlo antidoping, área da Cruz Vermelha, sala de reunião e também para conferências de imprensa. O estádio passará ainda a dispor de iluminação e espaços internos de estacionamento. Toda esta intervenção está orçada em 94 mil contos.

Um dos principais objectivos desta obra é qualificar o “Adérito Sena” para jogos internacionais, que há muito tempo deixaram de acontecer em S. Vicente. Segundo Álvaro Cruz, presidente da Mesa da Assembleia-Geral da FCF, este foi um desafio assumido pela actual direcção durante a campanha. “Com o descerramento da placa, este objectivo começa a ser materializado e esperamos que tenhamos obra feita daqui a cinco meses para que que o próximo jogo da seleção nacional em Cabo Verde seja aqui neste estádio.” 

Maquete no novo campo de futebol Adérito Sena

Como salientou o autarca Augusto Neves, este é um dos grandes sonhos dos mindelenses, que querem voltar a poiar os “Tubarões-Azuis” em casa. Segundo o presidente da CMSV, todo o trabalho de restauração é um processo iniciado há muito, que incluiu a execução de obras no Centro de Estágio da FCF, contíguo ao estádio Adérito Sena. “Esperamos ter o campo pronto no prazo para que os mindelenses possam voltar a sentir o prazer de apoiar a nossa selecção porque, quando a nossa equipa joga aqui, ganhamos sempre”, sublinhou Neves, para quem a intervenção nessa infraestrutura vai trazer uma série de benefícios para os amantes do futebol e a ilha de S. Vicente.

Para o ministro Paulo Veiga, este é um sonho que começa a sua materialização. S. Vicente, diz, é uma centralidade, a ilha com a segunda maior população do país, e merece um estádio apto para provas internacionais. “Gostaria de falar de competições juvenis porque é algo que normalmente nos esquecemos”, realçou Veiga, em representação do ministro dos Desportos.

Segundo esse governante, a cidade do Mindelo vai passar a dispor de uma infraestrutura que irá servir tanto para jogos como para atrair outros tipos de eventos. Paulo Veiga lembrou que a ilha do Monte Cara é conhecida pelos acontecimentos culturais – como Carnaval, Festival da Baía e Kavala Fresk – e espera que a primeira fase da remodelação do “Adérito Sena” fique concluída antes dos cinco meses de prazo.

KzB

Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Curioso!
    Quando é que começa a segunda fase, e o que irá incluir?
    Porque para se transformar o Adérito Sena num verdadeiro estádio, há muita coisa por fazer.
    É que os sussessivos elencos camarários foram fazendo mas, à medida que iam fazendo, iam destruindo as potencialidades daquele espaço que eram enormes.
    Falta de visão e de respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar