Desporto

Mário Semedo nega envolvimento em esquema para receber benefícios da CAF

O presidente da FCF refutou qualquer envolvimento da sua parte num alegado esquema ilícito para receber benefícios pessoais da Confederação Africana de Futebol, tal como, diz em comunicado, tem estado a correr nas redes sociais. Em nota enviada à imprensa, Mário Semedo esclarece que a Assembleia-Geral da CAF e o Comité Executivo aprovaram em Maio de 2017, por unanimidade, a atribuição de uma subvenção de 100 mil dólares às federações de futebol filiadas nesse organismo dos quais 20 mil dólares seriam destinados aos presidentes das federações, a titulo de remuneração.

A referida decisão, prossegue Semedo, foi comunicada pelo Secretário-Geral da CAF através de uma circular com data de 8 de Junho a todas as federações, informação essa que é comprovada por um documento anexo. Como diz este documento, o Comité Executivo da CAF, a quando da sua reunião no Bahrein, encontro esse conduzido pelo presidente Ahmad, decidiu atribuir essa subvenção da seguinte forma: 20 mil dólares aos presidentes das federações a título de compensação; 50.000 para desenvolvimento do futebol de formação e o restante para cobertura das despesas com os oficiais.

“Assim sendo, o montante transferido pela CAF para o presidente da FCF (Federação Cabo-verdiana de Futebol), bem como aos presidentes de outras federações africanas de futebol desde 2017, foi efectuado em cumprimento de decisões tomadas pela Assembleia-Geral e pelo Comité Executivo da CAF, duas instâncias superiores da referida confederação”, salienta Mário Semedo, frisando que a situação é “absolutamente clara e lícita”, pelo que não há qualquer irregularidade.

Como o próprio Mário Semedo começa por dizer na nota, essa decisão provocou um conflito entre o ex-Secretário-Geral da CAF e o actual presidente da confederação, que culminou com o afastamento do primeiro pelo Comité Executivo. Esse caso, como deixa transparecer a nota da FCF, acabou por alimentar rumores nas redes sociais de que Mário Semedo ter-se-á envolvido num esquema ilegal para receber luvas da CAF, o que ele vem agora negar.

Pub.

Mostrar mais

Kimze Brito

Jornalista com 30 anos de carreira profissional, fez a sua formação básica na Agência Cabopress (antecessora da Inforpress) e começou efectivamente a trabalhar em Jornalismo no quinzenário Notícias. Foi assessor de imprensa da ex-CTT e da Enapor, integrou a redação do semanário A Semana e concluiu o Curso Superior de Jornalismo na UniCV. Sócio fundador do Mindel Insite, desempenha o cargo de director deste jornal digital desde o seu lançamento. Membro da Associação dos Fotógrafos Cabo-verdianos, leciona cursos de iniciação à fotografia digital e foi professor na UniCV em Laboratório de Fotografia e Fotojornalismo.

Artigos relacionados

4 Comentários

  1. Pode nao haver envolvimento em esquema mas, a noticia é surpreendente. Quando todos andamos convencidos que os responsaveis do desporto trabalham por amor ao desporto, de repente e só por causa desta denuncia é que ficamos a saber que o presidente ganha, e como ganha. 20 mil dolares!! Em 100 mil para o futebal de Cabo-verde, 20 mil sao para o seu bolso. Ele que fala sempre das dificuldades financeiras da instituicao. Estranho isso, assim como é tambem estranho o facto desse recebimento no valor de 20 mil dolares, ter sido sempre escondido. As instituicoes fiscalizadoras deste pais andam a dormir, ou tambem sao cumplices com o silencio, à espera do dia em que lhes cai a mesma sorte (fortuna)???

  2. Duas perguntinhas inocentes: Por que razão a CAF não transferiu os 20 mil dólares à FCF para esta decidir como dar-lhes destino, já que as relações não são entre o Sr. Mário Semedo e a CAF mas sim entre a FCF e a CAF? Não é estranho?
    E, se foi mesmo remuneração por um serviço prestado, terá o Sr. Mário Semedo declarado esses rendimentos às Finanças e pago os respetivos impostos?
    No fundo, no fundo, apesar de todas as explicações, a coisa cheira mal. Mas, como sabemos, quando há maroscas que envolvem certas personalidades “bem cotadas” e “bem relacionadas”, há abundante lixívia para limpar e tirar o mau cheiro

  3. O Mario Semedo poderia esclerecer estas precupacoes? Nós agradeceriamos! O ministerio Publico poderia investigar?
    Se ha uma pessoa que nao tem a qualidade minima para estar no despprto, è o Mario Avelino (Donai) mas, nao se pode esquecer as acusacoes de desvio que ele fez ao Maro Semedo durante a campanha para a presidenca da FCF,. Agora vem ao decima, deixando-me com muitas duvidas sobre a conduta dele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo