Desporto
Tendência

Cabo Verde perde com Hungria em estreia impressionante no mundial de andebol

Cabo Verde perdeu por 34-27 com a Hungria, mas não se intimidou perante a experiente adversária europeia. Na sua estreia num campeonato mundial, e com apenas metade do plantel disponível, os Tubarões-azuis mostraram garra e vontade de dignificar a bandeira nacional. Iniciaram a partida com um nervosismo natural, mas aos poucos foram entrando no jogo.

Com atletas possantes e tecnicistas, a Hungria assumiu o comando dos acontecimentos e aos 4 minutos vencia por 4 a zero. Cabo Verde viria a marcar o seu primeiro golo no jogo e na sua história num mundial da modalidade por Gwa aos cinco minutos. Aberto o marcador, os atletas comandados pelo técnico Jorge Sousa introduziram por mais três vezes a bola na baliza contraria e colocaram o placar em 5-4 aos sete minutos. Daqui para a frente, a Hungria passou a dilatar a diferença, mas Cabo Verde nunca baixou os braços.

No ataque, Gwa revelava-se o jogador mais perigoso, na baliza Élcio mostrava segurança. O guarda-redes da equipa nacional enfrentou a poderosa máquina de ataque húngara com defesas impressionantes.

Com um banco super desfalcado, sem dez jogadores e o técnico principal, Cabo Verde teve de adaptar as peças do “xadrez”, mas principalmente no sector defensivo. Sem muitas opções, teve que manter alguns jogadores durante muito tempo em jogo. Mesmo assim a Hungria não conseguiu ir mais que cinco golos de vantagem no primeiro tempo. Ao intervalo a formação europeia vencia por 19 – 14, tendo como seu principal atacante o esquerdino Baloth.

O segundo tempo começou com dois golos consecutivos da Hungria, que aumentou para 7 a diferença no placar. Aos 38 minutos vencia por 24 – 17, explorando sempre o remate dos 9 metros, entradas dos pontas e jogadas com o pivot. Cabo Verde ripostava com contra-ataque, disparos de Leandro, entradas de Gwa e finalmente 3 boas combinações com o pivot. A partida terminou com a vitória da Hungria por 34 – 27, resultado que honra a entrega da equipa azul e branca.

Alma e qualidade em campo

Para o técnico Adelino Duarte, Cabo Verde fez uma excelente estreia no Egipto-21 e deixou uma imagem muito positiva do seu andebol.

“Temos de ficar orgulhosos com a prestação de uma equipa reduzida a 50 por cento da sua capacidade. No entanto, esse desfalque não foi notado porque os jogadores mostraram alma, qualidade e capacidade de sofrimeno em campo”, comentava o treinador-adjunto minutos depois do término do jogo.

Segundo Didi, se Cabo Verde tivesse todo o plantel e equipa técnica disponível teria dado uma resposta mais forte, mas isso não significa que iria ganhar o jogo. Na certa, diz, teria mais opções e poderia descansar mais os jogadores. “Há atletas importantes que não puderam jogar e que poderiam dar um grande contributo na defesa, como os casos do Ivo, Fetê e Bruno. No ataque seria de grande valia a capacidade de jogo de Rafa e Bruno e do central Elledy Semedo, pela sua técnica e criatividade”, argumenta Didi.

Amanhã, Domingo, os Tubarões-azuis defrontam a poderosa Alemanha, que venceu o Uruguais por 43-14 e lidera o grupo A com os mesmos dois pontos da Hungria. Cabo Verde termina a fase de grupos com o Uruguai

A anteceder esta partida, para o mesmo grupo, a Alemanha venceu o Urugua por 43-14 e passou a liderar este grupo com dois pontos, os mesmos que a Hungria. Cabo Verde termina a fase de grupos jogando com o Uruguai, com os olhos postos na vitória e sua qualificação para a próxima etapa.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo