Desporto

Atlético e Farense no grupo C do nacional de andebol masculino e sem hipótese de se defrontarem na final

As equipas do Farense e Atlético do Mindelo calharam no mesmo grupo do campeonato nacional de andebol masculino, após sorteio realizado na cidade da Praia na passada sexta-feira. Esta é a terceira situação nesta época desportiva em que os clubes representantes da região de S. Vicente ficam juntas na fase de grupos, após acontecer com o Mindelense e Académica do Mindelo, no nacional de futebol, e com o Amarante e Atlético, em andebol feminino, competição esta a ser disputada de 17 a 22 na cidade do Mindelo.

Para Helton “Fet” Santos, o sorteio acaba por penalizar os dois emblemas que representam S. Vicente na prova masculina. Isto porque, explica, são três grupos de 3 equipas, passando para as meias-finais os primeiros classificados, mais o segundo melhor de todas as poules. Neste caso, adianta, se o Atlético e Farense passarem vão voltar a defrontar-se na eliminatória da semifinal, pelo que os dois clubes não terão a chance de disputarem a final. É que, dita o sorteio, o primeiro lugar do grupo C vai defrontar na semifinal o melhor segundo de todos os grupos.

“Na minha opinião, as cabeça-de-série deveriam ser as equipas campeãs regionais de S. Vicente, Santiago Sul e Boa Vista, visto que foram as regiões que ficaram no pódio no último nacional. Neste caso, o Atlético do Mindelo não deveria ser cabeça-de-série porque perdeu o regional de S. Vicente, mas sim o Farense”, considera o técnico do SC Farense. Apesar de tudo, diz, o seu clube vai para o nacional com o intuito de conquistar o seu primeiro título.

Interpretação diferente tem Aquilino Fortes, treinador do Atlético. Na perspectiva deste técnico, o seu clube tinha, sim, direito a ser cabeça-de-série enquanto campeão nacional e porque assim determinam os critérios. “São os critérios em vigor e que devem ser respeitados enquanto não forem mudados”, comenta Aquilino Fortes. Para ele, qualquer adversário poderia cair no grupo do Atlético e calhou que foi o Farense. “E infelizmente uma das equipas vai ser eliminada antes de chegar à final”, frisa.

Carlos “Caloca” Alfama, vice-presidente da Federação Cabo-verdiana de Andebol, confirma que o Atlético do Mindelo é que deveria ser cabeça-de-série enquanto campeão em título. Explica que, por norma, as cabeças dos grupos são ocupadas pelas regiões desportivas que ficaram em primeiro, segundo e terceiro classificados do nacional anterior. Isto significa que deviam ser as equipas representantes de S. Vicente Santiago Sul e Boa Vista. “O regulamento diz que as restantes equipas ficam num pote e são sorteadas”, acrescenta. Nesta fase do sorteio, adianta, o Farense acabou por cair no grupo do Atlético.  

“O sorteio foi feito mediante as regras. Agora, se os clubes e as associações discordam devem apresentar propostas para serem discutidas na assembleia-geral porque a federação está aberta”, frisa Caloca.

A realização da prova tem estado rodeada de algumas dificuldades, a ponto da FCA ter adiado a data duas vezes. Esta incerteza tem tido efeito na preparação das equipas de S. Vicente, que, conforme os citados técnicos, andam a treinar sem saberem ao certo a data do torneio, o local e as condições de transporte.

Confrontado pelo Mindelinsite, Caloca reconhece que a FCA tem estado a enfrentar contratempos na realização da prova, que começaram com a mudança da data da CAN pela Confederação Africana de Andebol. Além disso, a FCA revela que três regiões desportivas manifestaram interesse em acolher o campeonato, mas ficaram à espera das cartas de conforto das respectivas autarquias. Adicionalmente, surgiram dificuldades no agendamento do transporte dos jogadores, árbitros e dirigentes.

Só nos últimos dias, diz Caloca, é que ficou decidido que a competição vai decorrer na cidade da Praia, de 25 a 31 de agosto, e foi negociado o transporte por avião das equipas para a Capital. Assume, entretanto, que a agência de viagem não deu garantias de conseguir lugares disponíveis para o regresso das equipas às respectivas ilhas, pelo que, em princípio, a viagem será de barco.

Devido a esse atraso, a FCA não conseguiu disponibilidade do Gimnodesportivo, já comprometido para acolher o campeonato nacional de voleibol, pelo que as partidas serão disputadas no pavilhão do Bairro.

Conforme o sorteio, o grupo A é integrado pelas equipas da Académica da Boa Vista, Graciosa (Santiago Norte) e K-Cobra do Fogo; o grupo B é constituído por Asa Star da Praia, João Baptista de S. Nicolau e Académica do Sal; a poule C fica composta pelo Atlético do Mindelo, Farense de S. Vicente e Super Estrelas de Santo Antão.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo