Pub.
Pub.
CulturaEscolha do Editor

Risos, lágrimas e aplausos na entrega do Prémio Mérito Teatral 2019

RFoi entre risos, lágrimas e muitos aplausos que actriz Elisabeth “Bety” Gonçalves recebeu o Prémio Mérito Teatral 2019, o mais importante galardão de reconhecimento em Cabo Verde no domínio das artes cénicas. O pátio do Centro Cultural do Mindelo encheu-se para assinalar o Dia Mundial do Teatro e da Mulher Cabo-verdiana. Aliás, estas receberam uma menção especial do presidente da Associação Mindelact, sobretudo as mulheres atrizes que festejaram duplamente o seu dia.

Irreverente, Betty, ao agradecer, optou por brincar com os presentes, na maioria pessoas que a marcaram ao longo da sua vida: os seus pais que sempre a apoiaram apesar dos alertas de que nunca ficaria rica, João Branco que a levou para o teatro em 1995, das atrizes Elisangela e Sílvia que a receberam com olhares atravessados” por causa da concorrência. “Meus amigos ficaram preocupados quando conheci o João Branco. Perguntaram-me se estava a namorar um português doido, pobre, que andava na rua a ler jornal e a falar sozinho? João dou graças a Deus por me teres levado para o teatro. Teatro me deu uma capa de protecção e ninguém consegue te atingir.”

Publicidade

As gargalhadas foram, entretanto, substituídas por lágrimas ao visualizar as mensagens dos filhos que não puderam estar presentes e ao agradecer Zenaida, com quem já partilhou o palco por diversas vezes. Segundo Bety, é a única pessoa que lhe permite subir num palco despreocupada porque, se esquecer o texto, Zenaida conhece todas as suas falas e aguenta os seus improvisos. “Neste momento sou professora de artes desenho e de oficinas de artes plásticas, graças ao professor Tony e a professora Eduarda que, ainda adolescente, a escolheu para Miss Escola Técnica. Mas troquei o concurso por uma viagem à ilha Brava porque percebi que miss não era o meu futuro.”

A cerimónia contou ainda com intervenção do director do CCM, em representação do Ministério da Cultura, do presidente da mesa da Assembleia Geral da Associação Mindelact, que falou do surgimento do teatro na Grécia e da instituição do Dia Mundial do Teatro, com o objectivo de promover e fazer as com que as pessoas tomassem consciência do real valor desta arte. Sobre o prémio, José Pedro Bettencourt lembrou que é representado por uma estatueta em bronze concebida pelo artista Manú Rasta, a partir do logotipo da Associação Mindelact, que por sua vez é da autoria da artista plástica já falecida, Luísa Queiroz.  

Publicidade

Zenaida Alfama, proponente do nome de Bety Gonçalves para o Prémio Mérito Teatral 2019, também decidiu “quebrar o protocolo”. Traçou o percurso da amiga e colega através de algumas fotografias marcantes das peças em que esta participou, caso por exemplo de Casa de Nha Bernanda, Mulheres na Lajinha, Mancara, Sapateira, de entre tantos outros.

Formada em Artes Visuais no M_eia em São Vicente, Elizabeth Gonçalvez é actriz, figurinista, cenógrafa, aderecista, formadora, animadora cultural, em fim, um faz-tudo no teatro e na arte em geral. Há três anos está envolvida no “Caravana do Teatro”, um projecto desenvolvido na cidade da Praia e que resulta de uma parceria da FICASE e da Cooperação Luxemburguesa.

Publicidade

Constânça de Pina

Mostrar mais

Constanca Pina

Formada em jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ). Trabalhou como jornalista no semanário A Semana de 1997 a 2016. Sócia-fundadora do Mindel Insite, desempenha as funções de Chefe de Redação e jornalista/repórter. Paralelamente, leccionou na Universidade Lusófona de Cabo Verde de 2013 a 2020, disciplinas de Jornalismo Económico, Jornalismo Investigativo e Redação Jornalística.

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo