Cultura

Bitú expõe pinturas e esculturas reproduzindo a  “Alma Kriola”

O Centro Cultural do Mindelo recebe a partir das 18h30 de hoje uma exposição de pintura e de escultura denominada “Alma Kriola”, do artista plástico mindelense Bitu Alves. Vão estar a mostra 12 quadros e cinco esculturas de artistas cabo-verdianos reconhecidos no país, mas também na diáspora, como forma de os valorizar e despertar o interesse dos jovens em pesquisar e conhecer a sua história. 

A exposição integra a temática “A imagética em Cabo Verde”, que foi também mote para Recipro-cidade, um pensamento transnacional de artistas em movimento sem fronteiras que colocam no centro da sua atenção a troca. “Uma troca feita de igual para igual com uma amizade que se quer forjada na base da sinceridade”, lê-se na nota de imprensa do Ministério da Cultura e das Industrias Criativas. 

Em declarações ao Mindelinsite ainda a dar os retoques finais nas peças que vão estar expostas até meados de Setembro no CCM, Bitú Alves explica que há algum tempo vem preparando esta exposição com o propósito de mostrar o seu trabalho de escultura. “Decidi retratar figuras por quem tenho uma enorme consideração: Ildo Lobo, Cesária Évora, Bana, Manuel d’ Novas e Nhô Roque. São figuras de Cabo Verde e também da nossa cultura e que, infelizmente, não são reconhecidos pelos jovens.”

Mas este artista, que é conhecido em São Vicente como carnavalesco do grupo Estrelas do Mar, não pretende parar por aqui. Como faz questão de frisar, a sua intenção é esculpir todas as figuras relevantes de Cabo Verde. “Quis fazer estas esculturas por uma satisfação pessoal, mas se alguém interessar em colocá-los em algum lugar, estão disponíveis”, enfatizou, realçando que, na sua concepção, seguiu o mesmo processo utilizado no Carnaval, com recurso a poliuretano e massa.

Caso alguém mostrar interesse em reproduzir as esculturas, há um sistema em que fazemos moldes de fibra para que possam ganhar mais resistência e possam ser expostos em qualquer espaço, seja na rua ou em lugares fechados”, clarificou Bitú Alves, que admite querer aproveitar esta época de férias em que o número de visitantes aumenta em S. Vicente para dar uma maior visibilidade ao seu trabalho.

As pessoas me conhecem mais por meu trabalho no Carnaval e a pintura. Quero mostrar também o meu potencial a nível da escultura, que está também ligado a pintura. São técnicas diferentes, mas com linhagens muito similares”, acrescentou este artista, que justifica a escolha do título da exposição “Alma Kriola” por entender que as figuras retratadas fazem parte da nossa alma e da nossa raiz. 

São pessoas que admirei enquanto estavam vivos e cujo trabalho continuo a admirar mesmo depois de mortos e quero que a camada jovem conheça e reflita um pouco sobre aquilo que fizeram. Hoje estas figuras são recordadas sobretudo por pessoas como eu, acima dos 50 anos”, lamentou Betú Alves. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo