Atualidade
Tendência

Jorge Santos visita PN: Comandante enaltece eficácia dos operacionais no combate à Covid-19 em SV

O comandante Alírio Correia assegurou esta manhã ao presidente da Assembleia Nacional que S. Vicente é uma ilha tranquila, apesar da criminalidade existente e haver em média 1 agente para mais de 300 habitantes. Segundo Correia, a capacidade da PN no Mindelo foi colocada à prova no combate à Covid-19, com a declaração dos estados de emergência e de calamidade, mas mais uma vez os operacionais agiram com a devida eficácia, tornando-se numa das principais ferramentas nessa luta. 

“Temos feito um trabalho árduo porque nem toda a gente chegou a entender a gravidade do vírus. A PN tem tido uma boa prestação até esta, mas registamos um caso interno de infecção. A pessoa já está curada e a trabalhar”, frisa o chefe da PN em S. Vicente, lembrando que o Comando dispõe neste momento de apenas 216 efectivos, número que, na sua óptica, precisa ser reforçado.

O Comandante da PN divulgou estes dados durante uma visita de Jorge Santos, que se encontra em S. Vicente para se inteirar das medidas de contenção do novo coronavírus. O presidente da Assembleia Nacional, que tem estado acompanhado de alguns deputados, já esteve na Delegacia de Saúde, no Hospital Baptista de Sousa, nos Bombeiros e agora na Polícia Nacional. Para ele, a forma integrada como o sistema de combate à Covid-19 tem estado a funcionar em S. Vicente é uma referência nacional. Mesmo os bombeiros e a protecção civil, que, segundo Santos, têm estado a enfrentar sérias dificuldades de funcionamento, conseguiram corresponder às expectativas. Mas, para ele, é fundamental confrontar os poderes executivos e o Parlamento com a situação dos soldados da paz, que, lembra, precisam resolver o problema dos Estatutos e ver melhoradas as condições de trabalho.

No tocante à PN, Jorge Santos realçou que alcançou um papel de quase liderança no combate à Covid-19 em S. Vicente, mas também na Boa Vista, Sal e Santiago, embora reconheça que a situação na cidade da Praia seja mais complexa. Aliás, Jorge Santos reconhece que houve um relaxamento social visível na Capital com o fim do estado de emergência. “Mas, esta semana o Governo renovou o estado de calamidade e tomou um conjunto de medidas para reforçar o controlo do distanciamento social e do horário de funcionamento de algumas instituições comerciais, assim como de bares e restaurantes”, enfatizou Santos.

Segundo o presidente da AN, é facto que Praia continua a ter um número de infectados acima da média tolerável e projectada. Daí que defenda uma acção musculada das autoridades, mas sempre no respeito pelos direitos individuais. Este lembra que o direito à saúde consta da Constituição da República e que é um dever de todos defender esse bem.

Para Jorge Santos, a entrevista de alguns jovens na ilha do Sal sobre a pandemia surtiu um efeito de alerta, que interpelou todas as entidades a uma profunda reflexão. Na sua perspectiva, não deixa de ser preocupante a opinião de jovens formados sobre o vírus, pelo que é preciso adaptar a forma de comunicação com a sociedade cabo-verdiana, com recurso a técnicos bem formados.

Jorge Santos concorda que S. Vicente é uma ilha tranquila, apesar da sua conexão das rotas lícitas e ilícitas que chegam ao Porto Grande principalmente por via marítima. O presidente da AN entende que o projecto Cidade Segura, que está em fase avançada de implementação, vai colocar nas mãos da PN mais uma ferramenta de combate ao crime na cidade do Mindelo.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar