Escolha do EditorSocial
Tendência

Mena Pires: “Vendo mot’chá e descasco feijões para sustentar minha família”

Filomena Pires, mais conhecida por Mena Pires, vende ervas para chá e frutas de época e descasca feijões para sustentar a sua família. Há mais de 20 anos que, religiosamente, está à frente do mercado da Ribeirinha, em S. Vicente, com o seu balaio. Nos períodos de seca, Mena substitui esses produtos por balas e rebuçados. 

Mãe de quatro filhos, avó de 12 netos e bisavó de dois bisnetos, Mena conta que iniciou a sua vida como vendedora ambulante aos 41 anos de idade. “Durante 16 anos vendi à porta do mercado da Ribeirinha. Depois retiraram todas as vendedoras ambulantes dali, então vim para Alto Sentina. Estou aqui há quatro anos”, conta esta vendedora ao Mindelinsite. 

É dali que retira o seu sustento. “Depois de colocar os meus filhos na escola, deixei de trabalhar em casa das pessoas como empregada. Coloquei o meu balaio na cabeça e vim sentar-me em frente ao pelourinho. Vendo de tudo, desde mot’chá, maça terra, tambarina, queijo, mas também balas e cigarros quando não há produtos de terra. Para além do que ganho aqui, os meus filhos me ajudam”, pontua. “Por causa da pandemia, passei quase seis meses em casa. A Câmara prometeu-me ajuda, mas até hoje nada”, desabafa. 

Esta conta que todos os dias, às 09 horas, está no seu posto. Volta para a casa às 12 horas porque precisa cuidar da mãe de 90 anos. Mena mora na Ribeira Bote, perto do Jardim Mundo Infantil há 60 anos. 

Lidiane Sales (Estagiária)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo