Social

Greves: Siacsa diz que CMP falhou com bombeiros e funcionários de saneamento

O presidente do Sindicato da Indústria Geral, Alimentação, Construção Civil, Agricultura e Serviços Afins (Siacsa) convocou hoje à imprensa no Mindelo para justificar a realização da greve dos Bombeiros Municipais da Praia, que termina hoje, e a dos funcionários do serviço de saneamento da Camara Municipal da Praia que inicia amanhã.

Segundo Gilberto Lima, estas duas greves resultam do incumprimento do contrato de trabalho por parte da entidade empregadora, no caso a CMP, a atribuição de materiais de proteção inadequados, mas também para exigir melhores condições de trabalho e de vida destas duas categorias profissionais. “Espero que desta vez a CMP não saía com comunicações fabricadas, pois faltaram a verdade sobre a situação laboral dos Bombeiros Municipais.”

Este garante ter provas “inequívocas” para justificar a sua afirmação, lembrando que os responsáveis assumiram pagar as progressões e subsídios de risco aos bombeiros. Lima diz ainda que faltaram ainda a verdade dos factos por não entender a relação laboral entre o empregador e o trabalhadores em termos de direitos e deveres de ambas as partes.

Realça ainda o Presidente da SIACSA que a DGT também não conseguiu acabar com a briga entre os sindicatos rubricados no acordo e a Camara, alegando esta falta de verbas. Para este sindicalista, não se aceita esta desculpa, tendo em conta que a CMP acaba de aprovar o orçamento e conhecia, a priori, o acordo.  

Hoje, às 16horas, haverá ainda um encontro entre o Siacsa, os bombeiros e os vigilantes da empresa Silmac, que aguardam desde de maio melhorias salariais dignas, conforme está publicado no Boletim Oficial. “Neste momento, os vigilantes já deveriam ter mudado as categorias profissionais. Há quem tenha cinco categorias profissionais em atraso”.

Lidiane Sales (Estagiária)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo