Escolha do EditorSocial

“Action Metalo” quer distribuir 15 mil máscaras em S. Vicente

A iniciativa solidária Action Metalo lançada em São Vicente quer distribuir 15 mil máscaras e, com mais de um mês em actividade, já vai em metade da meta traçada. Esta campanha sem fins lucrativos partiu do francês Patrice Ceselia, que investiu cerca de 600 mil escudos do próprio bolso em materiais para a produção das máscaras e, juntamente com amigos, iniciou um movimento que já conta com um número próximo a 60 costureiras voluntárias.

“Começamos por confeccionar e distribuir máscaras para pessoas com problemas de saúde e logo alargamos a distribuição para empresas e instituições também para continuarem os seu serviços”, assegura o mentor do projeto. Entre outros locais que já foram abrangidos, destaca-se a Polícia, os Bombeiros, a Delegacia de Saúde, o mercado de peixe e a Câmara Municipal. Agora pretendem dar condições às empresas que irão iniciar as atividades com o fim da quarentena.

Neste percurso juntaram os esforços com a OMCV-SV que à primeira aderiu a esta ação e em conjunto estão a fabricar estes acessórios considerados agora importantes em Cabo Verde para evitar a propagação do coronavírus.
De acordo com Patrice, neste momento não há uma uniformidade de como construir máscaras, mas assegura que seguem as orientações da OMS com o uso do material TNT e tecido de algodão na produção das máscaras. “É reutilizável, desinfectável, lavável e usamos tecido que encontramos no mercado que tem o mínimo de 60 porcento de algodão. Fora isso tem o filtro TNT que fica dentro da máscara. Isso assegura a qualidade do equipamento” garante Teresa Sequeira, integrante deste grupo de acção social.

Ao mesmo tempo, esta fonte adverte que a produção de máscaras poderá ser atrasada, uma vez que já não há no mercado mindelense o material TNT. Por isso irão produzir com o que têm ainda disponível e esperam que seja reposto logo no mercado para continuarem os apoios. A ideia ainda é conseguir que outras empresas e instituições abracem a causa para conseguirem construir mais máscaras.

Esta campanha tem despoletado outras iniciativas sociais, já que algumas empresas onde entregam máscaras ofereceram em contrapartida quilos de alimentos, que são em seguida direcionados para obras solidárias da OMCV-SV.

Action Metalo foi o nome atribuído à iniciativa por causa do imigrante francês, tratado pelos amigos por Patrice Metalo. Isto porque foi dono da lanchonete Metalo, que costumava ficar estacionada junto a Praça Nova.
Este imigrante, que  chegou em Cabo Verde em 1996, acrescenta que o intuito é ultrapassar a meta proposta, visto que a campanha tem estado a despertar mais mão-de-obra.

Sidneia Newton

Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo