Mundo
Tendência

UE autoriza Remdesivir para tratar coronavírus

A Comissão Europeia autorizou a venda do medicamento antiviral Remdesivir para o tratamento de pacientes com coronavírus na União Europeia (UE), depois da aprovação da Agência Europeia de Medicamentos. O Executivo comunitário concedeu “uma autorização de comercialização condicional para o medicamento remdesivir, que se torna o primeiro remédio autorizado a nível da UE para o tratamento da covid-19”, afirma em comunicado.

A autorização, concedida ao abrigo de um procedimento acelerado e de forma condicional, surge após uma recomendação da Agência Europeia de Medicamentos, de 25 de junho, que aprovou o recurso a este medicamento para o tratamento da covid-19 em adultos e adolescentes a partir dos 12 anos com pneumonia e que requerem oxigénio suplementar. 

“A proteção da saúde pública é uma prioridade fundamental da Comissão”, refere a CE, realçando que Bruxelas indica que, “como tal, os dados sobre o Remdesivir foram avaliados num período de tempo excepcionalmente curto”, o que permitiu que a autorização fosse concedida no contexto da crise do coronavírus, “no prazo de uma semana após a recomendação da EMA, em comparação com os habituais 67 dias”.

Esta semana a imprensa internacional revelou que os EUA esgotaram o fármaco durante três meses em todo o mundo, ao comprar quase todo o stock de Remdesivir, que é produzido pelo laboratório Gilead. O remédio, refira-se, abrevia a duração dos sintomas de covid-19 e é o primeiro a ser aprovado por autoridades americanas para ser usada no tratamento contra a doença. 

Um comunicado do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA afirmou que o presidente americano, Donald Trump, obteve um acordo “incrível” com a Gilead pelos 500 mil ciclos de tratamentos, que representam 100% da produção da farmacêutica em julho, 90% em agosto e 90% em setembro.

C/Vol.com.br e JN

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar