Mundo

Surto de varíola-dos-macacos reportado em Portugal, Espanha e Reino Unido

Foram confirmados 14 casos de infecção por varíola-dos-macacos em Portugal e, pelos menos, outros dois estão em analise. Trata-se de uma doença endêmica de zonas selvagens de África notificada pela primeira vez em terras lusas, numa altura em que são também reportados surtos noutros países, como Reino Unido e Espanha.

De acordo com uma reportagem da CNN Portugal, que cita fonte hospitalar, o Centro Hospitalar Lisboa Central realizou análises aos casos suspeitos, que horas mais tarde foram confirmados pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge. Apesar de, nestes três países europeus em que foi detetada neste último mês, a doença ter sido diagnosticada sobretudo entre homens com relações homossexuais, esta não é uma doença relacionada com opções sexuais, esclareceu ao Diário de Notícias o infecciologista Jaime Nina, professor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

Descoberta em 1958 no Congo, a varíola-dos-macacos “entra numa família muito grande de vírus [Ortopoxvírus] da qual o mais conhecido é o vírus da varíola humana”, conta o infeciologista. Este afirma que a varíola humana foi “considerada erradicada em 1976”, e as pessoas deixaram de ser vacinadas, reportando-se apenas “casos esporádicos”. Sobre este vírus que agora chegou a Portugal, Jaime Nina garante que também “não apresenta historial de transmissão comunitária”.

“A transmissão faz-se por contacto direto com um animal infetado [geralmente roedores ou macacos] ou então por contacto direto com pessoas que estiveram em contacto com um animal infetado”, refere o especialista, sublinhando que os casos conhecidos até hoje “são esporádicos”. De resto, sublinha, o R0 desta doença – número médio de contágios causado por cada pessoa infetada – “é inferior a um”.

Relativamente a origem do surto em Portugal, a diretora do Programa para as Infeções Sexualmente Transmissíveis, Margarida Tavares, explicou que nenhum dos doentes viajou para África. Também não têm relação com os casos reportados no Reino Unido, onde o primeiro positivo é um homem que viajou da Nigéria.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos disse que está a investigar os casos de varíola dos macacos no Reino Unido e se mostra preocupado com um possível surto da doença. Já a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que são mínimas as chances do patógeno se espalhar.

Fonte: DN.PT

Mostrar mais

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo