Mundo

Forte sismo faz mais de 640 mortos e 3 mil feridos na Turquia e na Síria

Mais de 640 pessoas morreram e cerca de 3 mil ficaram feridas na sequência de uma série de fortes sismos com magnitudes entre os 6 e os 7.8 graus na escala de Richter, registados no sul da Turquia. Os tremores também afetaram parte da Síria, informa a Euronews. O balanço de vítimas está a ser atualizado por agências de notícias de ambos os países, citando fontes oficiais. Milhares de edifícios ruíram e há ainda muitas pessoas soterradas.

A agência de notícias turca Anadolu cita a Agência de Gestão de Desastres da Turquia (AFAD) adiantou o registo de um sismo de magnitude de 7.4 registado às 04h17 horas locais, seguido de mais de 40 réplicas, algumas de 6.6 graus. Há pelo menos 284 mortos confirmados, 2.323 feridos e centenas de edifícios destruídos, distribuídos por diversas regiões do sul do país, sobretudo em Malatya.

A AFAD coloca o epicentro do sismo na região de Pazarcık, província de Kahramanmaraş, cerca de 100 quilómetros a norte da fronteira com a Síria.

O Presidente turco, Recep Tayyp Erdogan lamentou a tragédia e informou ter mobilizado equipas de busca e resgate para a região afetada.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos registou o abalo mais forte também pelas 04h17 horas da manhã, mas com uma magnitude de 7,8 graus, localizando-o em Nurdağı, cerca de 77 quilómetros a oeste de Gaziantep e 60 a norte da fronteira com a Síria.

Pub.

A agência estatal síria SANA cita o Ministério da Saúde e fala em pelo menos “248 mortos e 700 feridos, a maioria nas províncias de Alepo, Hama Latakia e Tartous”. Nas regiões rebeldes, o balanço efetuado pelos “capacetes brancos” aponta para pelo menos 120 mortos.

O sismo teve o epicentro a norte de Gaziantep, a cerca de 90 quilómetros da fronteira com a Síria, e foi sentido sentido inclusive no Cairo, a capital do Egito, no Líbano, com vários residentes de Beirute a passar o resto da noite em carros. Em Itália, foi emitido um alerta para possível maremoto na costa leste.

Ajuda internacional

O primeiro-ministro dos Países Baixos anunciou o envio de uma equipa de busca e resgate para a região afetada pelos sismos, no sul da Turquia e no norte da Síria. Numa publicação nas redes sociais, Mark Rutte manifestou pesar pelas vítimas deste “severo desastre natural”.

A Alemanha também já ofereceu ajuda, assim como a Grécia, a Bulgária e até Israel, com quem a Turquia está em processo de reatamento de relações diplomáticas. Apesar das sanções e bloqueios devido à invasão da Ucrânia, a Rússia anunciou estar a preparar o envio para a Turquia de equipas de resgate para ajudar nas buscas por sobreviventes da sequência de fortes sismos desta segunda-feira.

Fonte: Euronews.com

Mostrar mais

Constanca Pina

Formada em jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ). Trabalhou como jornalista no semanário A Semana de 1997 a 2016. Sócia-fundadora do Mindel Insite, desempenha as funções de Chefe de Redaça6o e jornalista/repórter. Paralelamente, leccionou na Universidade Lusófona de Cabo Verde de 2013 a 2020, disciplinas de Jornalismo Económico, Jornalismo Investigativo e Redação Jornalística.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo