EconomiaEscolha do Editor
Tendência

Gasóleo para electricidade e petróleo com aumentos superiores a 50%

Todos os produtos petrolíferos registam aumentos expressivos desde as zero horas de hoje, com excepção do gás butano e da gasolina, cujos preços baixaram 9,30 e 1,70 escudos, respectivamente. No caso do petróleo, por exemplo, o aumento foi de 50,37%, ou seja, de 134 escudos, que está a ser vendido agora por 207,70 escudos o litro. Mais caro ainda está o gasóleo para electricidade, que sofreu uma variação positiva de 53,32%. 

A Agência Reguladora Multisectorial da Economia (ARME) justifica estes novos preços  dos combustíveis com a crise internacional causada pela guerra na Ucrânia, que, afirma, obrigou a suspensão temporária da aplicação do mecanismo de fixação de preços desses produtos entre 1 de abril e 30 de junho, e que agora foi descongelada. Uma medida que, segundo o Governo, visava reforçar a resiliência do sistema petrolífero/energético face a escalada de preços no mercado internacional.  

Para esta actualização, informa a reguladora, foi suspensa temporariamente, ou seja de 1 a 31 de julho, a Taxa Social de Manutenção Rodoviária a ser adicionada sobre o preço final do gasóleo normal, evitando assim que o aumento fosse mais significativo. “A Lei 13/X/2022, de 30 de junho, que altera as taxas de Direitos de Importação (DI) e as de Imposto sobre o Consumo Especial (ICE) constantes da Pauta Aduaneira, aprovada pela Lei n.49/IX/2019, de 27 de fevereiro. Esta Lei reduz a taxa de DI sobre a gasolina de 20 para 10%, assim como sobre o Fuel 180 e 380, de 5 para 0%. Adicionalmente, reduz a taxa de ICE sobre o gasóleo e a gasolina, mudando de 10% para a de 6 escudos por litro, e produz efeitos imediato a partir de 1 de julho até 31 de dezembro”, refere o comunicado. 

Deste modo, de acordo com a nova tabela de preços, o gasóleo normal sobe de 153,40 para 181,30 escudos o litro (18,19%). O petróleo, que teve uma das subidas mais acentuadas, passou de 134,80 escudos o litro para 202,70 (50,37%) e o gasóleo para electricidade de 117,60 para 180,30 escudos (53,32%). O gasóleo marinho aumentou de 115,70 para 152,40 escudos o litro, o Fuel 380 de 104 para 134 escudos o quilo (29,62) e o Fuel 180 de 109,10 escudos para 141 escudos.  

Surpreendentemente, o gás butano e a gasolina registaram ligeiras diminuições de 5,25 e 0,89% respectivamente. A granel, o gás butano, baixou para 167,80 o quilo, contra os 177,10 pagos nos últimos meses em que o preço esteve congelado. Com isso, o custo da garrafa de gás de 3 kg caiu para 478 escudos, o de 6 kg para 1007, o de 12,5 kg para 2098 e o de 55 kg para 9232 escudos, graças a uma redução na ordem dos 5,25% (-9,30 escudos). Já a gasolina, antes vendida a 190,70 escudos o litro, está a ser comprada nas bombas por 189 escudos (-0,89%).

O somatório destes valores, diz a ARME, corresponde a um acréscimo medido dos preços dos combustíveis de 25,79%, resultante sobretudo do descongelamento dos preços dos combustíveis utilizados na produção da electricidade. Estes novos preços dos combustíveis vigoram até 31 de julho. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo