Desporto
Tendência

Jennifer Rodrigues: De vendedora a campeã no “São Silvestre”

Jennifer Rodrigues, da Escola de Atletismo Dimaz, foi a grande vencedora da edição 2021 da Corrida de São Silvestre de S. Vicente, no escalão veterano feminino. Aos 42 anos, Jen, como é chamada pelos companheiros, abraçou o atletismo por aconselhamento médico há apenas três anos e, desde então, orgulha-se de estar sempre no podium: no primeiro ano ficou em terceiro, depois em segundo e agora no primeiro lugar. 

Vendedora de lanches à entrada do Liceu Ludjero Lima, Jennifer Rodrigues diz que sempre gostou de correr, mas nunca lhe tinha passado pela cabeça transformar esta sua paixão em prática desportiva, até porque a sua actividade é muito exigente. “Todos os dias, de manhã e também à tarde, estou nas imediações do Liceu com o meu carrinho de mão. Faço e vendo pizzas, pipocas, sorvetes, de entre outros.”

Depois que termina a sua venda, por volta das 17 horas, regressa à casa para deixar o carrinho e inicia o seu treino. De noite, ocupa-se novamente a preparar as vendas para o dia seguinte. Foi esta rotina extenuante, mas também a responsabilidade de cuidar do pai, que começaram a mexer com a sua cabeça e decidiu refugiar-se no atletismo. 

“Comecei a correr por recomendação médica. O meu pai era alcoólico crónico e acabou por apresentar problemas mentais. Eu era a sua cuidadora e comecei a sentir algumas dificuldades, então a psicóloga que o acompanhava me aconselhou a fazer algo que gostava. Foi assim que comecei a correr”, explica Jen, com simplicidade. 

Inicialmente, a corrida foi mais uma válvula de escape, mas que dava satisfação a Jennifer Rodrigues. Entretanto, devido ao seu empenho, foi convidada para competir. “Faz hoje exactos três anos que comecei a competir. Na primeira vez fiquei em terceiro lugar. Ganhei o gosto e decidi treinar-me com mais afinco. Desde então só tenho melhorado a minha performance. Quando estou a correr esqueço os meus problemas.”

E a satisfação pela conquista do primeiro lugar ontem no escalão veterano feminino foi enorme. “Há dias fui quarta classificada em Santo Antão e hoje consegui chegar em primeiro. Estou muito feliz porque mostra a minha evolução”, afirma esta corredora, que diz ter entrado na Escola de Atletismo Dimaz por incentivo do seu grupo de treino. “Pedi para entrar na escola e, desde então, tenho o apoio de todos.”

Apesar de trabalhar com alimentos banidos da dieta alimentar de um atleta, Jen faz uma alimentação equilibrada. “Tento comer sempre muita fruta e eliminei totalmente os fritos. Como sobretudo comidas cozidas e no forno. A comida que faço para o meu pai, que tem uma dieta controlada, é a que também consumo”, revela esta corredora, que se orgulha de pesquisar e investigar os melhores alimentos. 

“Gosto de pesquisar, mas também peco ajuda das pessoas, que me orienta sobre o que devo e não devo comer. Sou muito atenta a estas coisas”. Confessa Jennifer que, nesta altura, não se imagina a “aposentar-se”. “Penso continuar a correr enquanto conseguir. É algo que faço por gosto. Nunca tive ninguém na minha família que gostasse do atletismo e nem na minha zona, Campinho. Mas estou feliz.”

Esta história de vida e de luta foi ontem distinguida pela colega Ariana Firmino, que saudou a vitória de Jennifer Rodrigues na categoria Veterana e agraciou-a com uma prenda em dinheiro.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo