Desporto
Tendência

Ivan marca e Mindelense derrota a Micá com cambalhota no resultado 

O Mindelense venceu a Académica do Mindelo esta tarde no Adérito Sena, em jogo a contar para a segunda jornada do nacional de futebol, depois de estar a perder desde os 4 minutos da primeira parte. A cambalhota no resultado aconteceu aos 93 minutos da segunda parte com o golo de Ivan a dar a vitória aos Encarnados e a reacender a chama dos actuais campeões nacionais que perderam na primeira jornada frente ao Barreirense por um bola sem resposta. 

A Académica do Mindelo entrou determinada a quebrar o “jejum” de vitórias frente ao Mindelense nesta época desportiva. São agora quatro derrotas. E marcou logo aos 4 minutos da primeira parte por intermedio de Tchukim, numa grande jogada da Mica. Nesta altura, a equipa treinada por Carlos Machado dominava a partida. Aliás, durante a primeira parte o Mindelense fez um único remate para a baliza de Paulo, aos 43 minutos de jogo. O resultado ao intervalo favorecia a Académica.

As equipas regressaram do balneário e o jogo manteve a mesma toada. A Académica jogava bonito. Mas, o Mindelense fez algumas substituições e começou a crescer no jogo e, aos 55 minutos, Ay estabeleceu o empate. A reviravolta começou com a expulsão do Lela por acumulação de cartões amarelos e o Mindelense “matou” o jogo aos 93 minutos com o golo de Ivan, que foi muito festejado pelos muitos adeptos que lotaram o “Adérito Sena” e dirigentes da equipa de “Rua d’ Praia”. 

Em declarações à imprensa, o treinador-adjunto do Mindelense, João Fortes, mais conhecido por “Culau”, admitiu que este jogo era importante e complicado porque a equipa vinha de um mau resultado contra o Barreirense da ilha do Maio e, por isso, só a vitória interessava. “Estávamos confiante porque o Mindelense não tem por habito perder dois jogos consecutivos. O nosso objectivo era ganhar porque para poder manter em pé de igualdade com as demais equipas. E conseguimos. Agora tudo depende de nós e vamos trabalhar para nos mantermos lá”, enfatizou.

Culau nega que a equipa tenha alterado a sua estratégia no intervalo para empatar e depois colocar-se à frente da equipa adversária. “Fizemos o nosso jogo, como temos vindo a fazer. Não desorganizamos, não desconcentramos e acreditamos sempre que era possível”, afirmou, negando categoricamente que a expulsão do jogador da Micá tenha permitido a cambalhota no resultado. “Não houve facilidades. A Académica fez o seu jogo e tentou contrariar a nossa equipa. Talvez a expulsão do jogador tenha jogado a favor da nossa equipa. Mas, em jogos deste nível não existe facilidades”, assegura. 

Leitura diferente faz o treinador da Micá. Carlos Machado admite que muitas coisas impediram a sua equipa, mais uma vez, de segurar o resultado favorável. Este destacou como exemplo o plantel muito curto. “Dominamos o jogo até a expulsão do Lela, que é um jogador importante tanto ofensivo como defensivo. A nossa estratégia caiu completamente depois disso. Tivemos de adaptar com a sua expulsão, meter outros jogadores, mas a qualidade não é a mesma.”

O treinador admite que faltou maturidade aos seus jogadores. Agora, diz, é trabalhar para a próxima jornada, lembrando que tanto a sua equipa como o Mindelense somam três pontos cada uma. “Vai ser uma luta até ao fim, mas estamos confiantes. Não é porque perdemos um jogo com 10 atletas em campo que vamos perder a nossa confiança. Com 11 de certeza que sairíamos daqui com uma vitória”, garantiu. “O Mindelense marca-nos golos de bolas paradas. Jogamos bom futebol, mas faltam opções à nossa equipa. Mas é o que temos e vamos trabalhar com isso. Continuamos confiante”.

Nas demais partidas, o Sporting goleou o Ultramarina por 4×2 (Grupo A), enquanto o jogo das Académicas do Porto Novo e da Boa Vista (Grupo B) terminou com um nulo. Amanhã jogam Barreirense X Botafogo (Grupo C), Varandinha X Rosariense (Grupo A) e Morabeza X Palmeira (Grupo B). 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo