Cultura
Tendência

Mindelo acolhe no dia 22 a primeira edição da gala Prémio SCM

A praceta Dom Luís será palco da primeira edição do Prémio SCM (Sociedade Cabo-verdiana de Música), evento marcado para o dia 22 de abril. Nesta gala, conforme informação avançada pela SCM, serão atribuídos os troféus aos vencedores nas categorias de melhor música tradicional e clássica, melhor música urbana e moderna, prémio carreira e ainda o troféu utilizador Guardião, numa festa com entrada gratuita.

A realização desse evento cultural foi um dos aspectos abordados na primeira assembleia-geral ordinária de 2022 da referida sociedade, que decorreu nos dias 12 e 13 do corrente mês, no formado presencial e online. Nesse encontro foram apresentados e debatidos vários assuntos relactivos à situação actual da SCM. No primeiro dia foi apresentado o relatório de actividades do ano 2021, o relatório anual de transparência e as contas do ano passado. Além disso, a assembleia apreciou o programa e o orçamento para 2022 e, segundo nota da SCM, todos os documentos foram aprovados por unanimidade.

“O presidente da Assembleia-geral, Homero Fonseca, destacou o excelente trabalho realizado pela direção desde a criação de gestão colectiva de direitos de autores e direitos conexos”, informa o comunicado de imprensa saído da assembleia, tendo enfatizado que em 2021 foram realizadas quatro assembleias. Para Homero Fonseca, isso demonstra a vitalidade da SCM, criada há 8 anos para trabalhar em prol da defesa dos direitos autorais. Os resultados, na sua opinião, têm sido bastante significativos.

No segundo dia foram discutidos outros assuntos relevantes para o funcionamento e o futuro da SCM, um deles a aprovação do plano de distribuição para 2022.

“Apesar da situação pandémica, a SCM conseguiu atingir objectivos relevantes, como a distribuição tecnológica do sistema Wipo Connekt realizada em 2021, que revela quase o dobro do valor distribuído no ano de 2022, para além de contrato celebrados com a Spotify e com o Tik Tok, entre outras plataformas digitais”, salienta a nota. A mesma frisa que Solange Cesarovna, presidente da sociedade, revelou a sua satisfação com os trabalhos e viu os resultados como uma evolução substancial derivada do engajamento dos técnicos e a cooperação de parceiros estruturantes.

Para Cesarovna, a SCM está a cumprir a sua missão e a trabalhar a sua visão para recompensar, “de forma justa”, os que trabalham na música. Os próximos desafios serão fazer uma aposta na descentralização dos serviços da entidade, formar os autores sobre os seus direitos, aumentar o número de membros, fazer acordos de reciprocidade com outras instituições e colocar em funcionamento a plataforma do portal dos autores.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo