Cultura

Documentário “Firmeza” selecionado para o Hip Hop Festival nos EUA

O filme “Firmeza” volta a marcar pontos. O trabalho dirigido por Paola Zerman, e escrito em colaboração com o artista Patrick dos Santos em arte Patch CPX, foi selecionado para ser visionado no Hip Hop Festival, nos Estados Unidos da América. Para Zerman, esse evento é “muito importante” para o reconhecimento do Rap cabo-verdiano e promoção desse filme, que tem conquistado vários prémios em festivais internacionais de cinema, além de nomeações.

Até o momento, “Firmeza” já se destacou em festivais realizados na Nigéria, Tanzânia, Costa do Marfim, Cabo Verde e nos Estados Unidos. Em Outubro, a produção foi distinguida como “Best Short Documentary” no festival Silicon Valley African, e “Best Film About Music”, na DaMuVi Fest. A expectativa centra-se agora no Hip Hop Film Festival, um evento patrocinado pela Netflix e outros canais de divulgação de entretenimento.

“A temporada de 2019 acontece de 1 a 4 de Agosto em Nova Iorque e estimula mais de 3.000 fãs de cinema de todo o mundo. É também um festival dedicado ao Hip Hop e isso representa uma homenagem mais forte aos artistas que participaram no trabalho. Quando gravamos este documentário nunca pensamos que conseguiríamos resultados semelhantes”, diz Paola Zerman, citada numa nota enviada à imprensa, realçando que a realizadora está orgulhosa com o sucesso da obra, que tem conseguido levar o Rap dos artistas mindelenses ao mundo.

Filmada em S. Vicente, o documentário fala sobre a cultura Hip Hop pelas vozes de artistas como Kiddye Bonz, Wiggy Wiger, Mo Green, Kre’, Lala EzRecord, Kaku Duarte, Def, Kuart K, GG… Estes falam das suas relações com esse mundo, suas origens, mas também do mundo jovem e das preocupações para o futuro.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo