Cultura
Tendência

Brasileira regressa ao Mindelact com monólogo “Caso do Vestido” e cabo-verdiano em palco com peça “Naked Soldier”

A atriz brasileira Bid Lima regressa ao festival Mindelact 12 anos depois para estrear a peça Caso do Vestido, inspirada numa poesia do escritor Carlos Drumond, pelas 19 horas no palco da Alaim, em S. Vicente. O texto faz parte do livro A Rosa do Povo, lançado em 1945, na fase final da Segunda Guerra, e retrata a situação da mulher na década de trinta no Brasil, submetida ao poder do patriarcado. Um conteúdo actual, na perspectiva da actriz.

Habituada a encenar obras cheias de humor, que provocam “risos fáceis”, Vide Lima enfrenta no “Caso do Vestido” um tremendo desafio, que a faz sair da zona de conforto: protagonizar um monólogo que aborda um tema dramático. “Estar em cena interpretando uma personagem tão densa e forte é um desafio muito difícil para mim. Nestes 20 anos de teatro sempre trabalhei com a comédia e a graça”, explica a brasileira residente na cidade de Teresina e que apresentou da primeira vez a peça “Quando as máquinas param”, que fala da violência sobre a mulher.

Para ela é uma honra voltar à cidade do Mindelo e ser acolhida de novo pela organização do Mindelact. Doze anos depois, Bid Lima vê mudanças no centro urbano da ilha de S. Vicente e uma maior qualidade no festival, apesar das dificuldades provocadas pela pandemia da Covid-19. Esse sinal positivo, diz, ficou evidente no arranque desta edição, quando assistiu a performance “Peste Branca”.

Duas horas mais tarde, às dezanove, a ação será no palco do Centro Cultural do Mindelo, que apresenta a obra “Naked Soldier” (Soldado Nu), do colectivo Capenga, resultante de uma parceria teatral entre Inglaterra e Cabo Verde, precisamente entre a Cidade de Londres e a ilha do Sal. Quatro actores – dois ingleses e dois cabo-verdianos – contam a história de um soldado que cometeu crimes de guerra em África e foge para Inglaterra onde quer viver em paz. Reconhecido, tenta fugir às autoridades britânicas. Trata-se de um homem que perde quase tudo o que conquista na vida.

Escrita em 2010 por Marc Norfolk, a peça recebeu críticas positivas e o autor espera conseguir o mesmo impacto em Cabo Verde. Ele que se encontra em S. Vicente acompanhado do maiense Bernardino Fernandes, um ex-aluno, agora parceiro na criação da companhia de teatro e cinema Ticave, que pretende ser uma ponte entre Inglaterra e Cabo Verde. Há quase três semanas que o cabo-verdiano está no Sal a trabalhar a encenação para marcar a presença nesta edição do Mindelact da melhor forma.

Nascido na ilha do Maio, Bernardino Fernandes considera que sempre teve o bicho do teatro consigo. Ele que brincou de teatro e do Carnaval quando viveu a sua infância na cidade da Praia e mais tarde teve a oportunidade de se formar em Portugal. Confessa que tinha o sonho de um dia pisar o palco do Mindelact desde que viu João Branco numa performance teatral nas terras lusas. Hoje à noite realiza esse sonho.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo