Social
Tendência

Condutores revoltados com RTC por causa de contratação de reformado

Os condutores portonovenses estão indignados com a Rádio e Televisão Cabo-verdiana (RTC), delegação do Porto Novo, por causa da contratação de um condutor e uma viatura, no caso um professor reformado que, dizem, já aufere um salário público. Estes alegam que na cidade do Porto Novo há muitos jovens recém-formados e com carta de condução no desemprego. O mais grave, afirmam, é que a RTC é uma empresa pública, financiada pelos contribuintes, a promover esta situação ética e moralmente reprovável. 

Joao Pires é um destes condutores a dar a cara em nome dos colegas. Este explica que está revoltado porque a RTC decidiu contratar os serviços de uma pessoa que já aufere um salário público, enquanto que há muitos jovens sem qualquer fonte de rendimento. “Este condutor está a prestar serviço na RTC desde o inicio da campanha eleitoral. Estamos indignados com esta situação. Entendemos que a empresa não podia ter contratado um reformado, que já aufere uma pensão do Estado”, desabafa este condutor, para quem o trabalho poderia ser atribuído a um dos muitos jovens desempregados do concelho. “Estamos a falar de uma empresa publica opta por contratar um reformado com a sua viatura particular, sendo que a esposa deste também é reformada”. 

Contactado pelo Mindelinsite, o delegado da RTC no Porto Novo, Augusto Oliveira, limitou a dizer que não tem poder para contratar ninguém. “A empresa onde trabalho é quem responde pelas contratações”, afirma. Este alegou no entanto que a viatura e o condutor foram contratados para prestar serviço durante a campanha eleitoral. “Tenho conhecimento desta questão, mas não percebo porque as pessoas estão a questionar a política de uma empresa que, a meu ver, tem liberdade de contratar quem quiser.”

Oliveira diz ainda não entender as razões de toda esta celeuma, inclusive porque a pessoa em causa há vários anos vem prestado serviço na RTC. “Não é de agora que essa pessoas preta serviço na empresa em períodos de eleição, independentemente de ser uma pessoa reformada ou de estar a trabalhar. Sempre que a empresa necessitar, ela está disponível. Foi por isso que, mais uma vez, foi chamado para prestar serviço durante este período”

Lidiane Sales (Estagiária)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo