Pub.
Social

Autocarros da Transcor e TransMelo envolvidos em acidente

Pub.

Dois autocarros, um da Transcor e outro da TransMelo, estiveram envolvidos no início da noite de ontem num aparatoso acidente em Chã de Alecrim, São Vicente, que provocou quatro feridos e avultados danos materiais. O acidente aconteceu por volta das 18 horas e, de acordo com informações apuradas junta do departamento de Trânsito da Polícia Nacional, o condutor de uma das viaturas aparentava vestígios de álcool.

Ao que conseguimos apurar, o autocarro da Transcor parou para deixar alguns passageiros em uma paragem sinalizada, no sentido Chã de Alecrim-Lajinha, mas a viatura da TransMelo não conseguiu frear e embateu na traseira, mais precisamente no lado direito. Quatro pessoas ficaram feridas e foram transportadas pelos Bombeiros Municipais para o hospital.

Publicidade

Dois dos feridos, entre eles uma criança, foram levados para o hospital. No caso da bebé, sobretudo por precaução. “Tivemos de colocar um colar cervical em uma mulher que se queixada de dores fortes. Já um dos ocupantes do autocarro da TransMelo, que ficou encarcerado, exigiu mais cuidado. Não foi necessário acionar os equipamentos de desencarceramento para retirar a vítima da viatura. Felizmente, os ferimentos não foram muito graves, apesar da violência do embate”, revela fonte Mindelinsite.

A Polícia de Trânsito confirma que o autocarro da Transcor estava parado, a viatura da TransMelo foi tentar passar, mas não conseguiu. Entretanto, informações apuradas no terreno, indicam que, ao fazer a manobra para passar, o autocarro da TransMelo deparou com uma outra viatura vindo em sentido contrário. Ao tentar entrar de novo na sua faixa de rodagem, acabou por chocar com o autocarro da Transcor.

Publicidade

De recordar que, na sexta-feira, em um outro acidente, um indivíduo do sexo masculino foi esmagado contra uma parede pela parte traseira de uma viatura Dina, numa rua estreita da Bela Vista, e acabou por falecer.

Constânça de Pina

Publicidade

Mostrar mais

Constanca Pina

Formada em jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ). Trabalhou como jornalista no semanário A Semana de 1997 a 2016. Sócia-fundadora do Mindel Insite, desempenha as funções de Chefe de Redação e jornalista/repórter. Paralelamente, leccionou na Universidade Lusófona de Cabo Verde de 2013 a 2020, disciplinas de Jornalismo Económico, Jornalismo Investigativo e Redação Jornalística.

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Tem-se falado muito sobre a nova lei Anti- Álcool e a meu ver tem-se tentado imputar aos jovens todas as responsabilidades dos males, que até se proibiu o consumo de bebidas alcoólicas nas festas académicas. Altamente patrocinado pelo PR de adjunto, o Faustino. Não percebo, mas pronto avante.
    Ninguém fala da quantidade absurda de trabalhadores que dia sim dia só vão trabalhar depois de um cok matinal, seja professores, policias, motoristas profissionais, funcionários públicos , etc.
    São bastantes os condutores de autocarros e não só, que sistematicamente durante o horário de trabalho fazem desvios para botarem abaixo um “20 de groge” e que depois andam em corridas pelas nossas estradas. E toda a gente vê e sabe. Mas fiscalização desses condutores nada. Pudera, se num ano contarmos 15 operações da PN a fiscalizar viaturas e afins estaremos perante algum recorde de Guinnes.
    Depois vem-se publicar noticias a dizer-se que um dos condutor de uma das viaturas aparentava vestígios de álcool num tom a roçar o escandalizado e surpreso. Ponham foco onde está o problema ao invés de demagogia.

  2. Nossa gente não querem saber de Lei, queremos estar ao Deus dará, ninguem quer ser fiscalizado, queremos fazer aquilo que der na teia, somos muito bons em reclamar mas não somos capazes de apresentar soluçōes.

  3. O Godzilla diz umas verdades.
    Há de facto muita gente por aí que vai trabalhar já com umas pingas no corpo.
    E é verdade também que isto deve ser combatido.
    Mas ao mesmo tempo ele estraga tudo porque, o facto dos adultos beberem na hora do trabalho, não é razão para o Godzilla vir defender que se deva deixar os adolescentes beberem em paz.
    O que é que uma coisa tem a ver com a outra?????

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo