Cultura

Jack Monteiro: Morreu a “voz” da morna Judite e das serenatas das noites d’Mindelo

JMorreu ontem no Hospital Baptista de Sousa o músico das serenatas e noites do Mindelo, Joaquim “Jack” Monteiro, vítima de doença. O funeral deste artista, que é contemporâneo de Cesária Évora, Morgadinho, Luís Morais, Djosinha, de entre outros grandes nomes da música cabo-verdiana, está marcado para o próximo sábado, a partir da residência na Ribeira Bote.

Nascido em 1929, a voz “limpa e poderosa” deste artista fica eternizada nas suas interpretações primorosas de mornas e coladeiras. Em todos os seus espetáculos era obrigado a cantar “Judite”, música que dá nome ao seu disco de mornas e coladeiras gravado em Portugal. Para além deste, gravou ainda um LP em São Vicente intitulado “De Mindelo e suas crianças à UNICEF” e, em 2002, o cd Sentimento. Com Cesária Évora gravou dois discos, na década de 60, acompanhados pelo conjunto Mindelo.

Apesar da longa carreira de intérprete, mais de meio século, Jack Monteiro foi também compositor. As suas primeiras autorias datam de 2000: Capricho e Regresso, ambos gravados por Ildo Lobo e Bau. Escreveu ainda Ausência, tema registado pela jovem artista mindelense Gabriela Mendes. Na gaveta deixa ainda várias composições que, segundo a entrevista da jornalista Matilde Dias para o programa da TCV Revista, esperavam as vozes certas.  

Nunca foi um boémio, mas era uma presença assídua nas noites do Mindelo. Um palco que foi obrigado a abandonar há alguns anos por motivos de doença. Mas a verdade é que Jack Monteiro nunca fez carreira como artista. Único de três irmãos empregado – foi funcionário do Telégrafo Inglês e dos Correios de Cabo Verde – optou por priorizar a família. Assumiu cuidar da mãe e dos irmãos e mais tarde da mulher e dos filhos.

Em 2016 foi homenageado pelo Morna Jazz Festival, no bairro da Ribeira Bote, onde reside, numa noite de festa que contou com actuação de Chico Serra, Voginha, Zizi Vaz, Samuel e Manecas Matos. O funeral de Jack Monteiro será no sábado para aguardar a vinda da filha, que reside em Portugal.

Nesta hora de dor, Mindelinsite abraça a família deste grande artista.

Constânça de Pina

Mostrar mais

Artigos relacionados

5 Comentários

  1. Para complementar ao artigo do MindelInsight que o Djack Monteiro para além de ser um excelente interprete, foi também um grande compositor com particular relevância para duas LINDISSIMAS mornas, Regresso e Capricho, que a meu ver estão a níveis das mais belas mornas de Eugénio Tavares, B.Leza, Jota Mont, Manuel Novas , Betú etc., que fazem parte do Album “Intelectual” do Ildo Lobo. Que descanse em paz.!

  2. Na fundo di bô alma
    Bô tem um segredo gurdód
    Ele ê um confissão qui bô ca crê fazê
    Dentro di bôs odjos ja’m discobri ess amor
    Qui ta tormentób por causa dum capricho.
    Si bô amor ê puro ‘m ta respondêb cu mesmo amor
    Quê pa liviób ess sofrimento
    Qui ta dób cabo di bô vida
    ‘M ta fazê tudo pa construí ess felicidade
    Pa bô creditá na nha lealdade
    Pa dignificá ess bô amor.

  3. you will be missed dear grandfather, the pain that I now feel because I could not say goodbye will not disappear quickly. In my heart I will always remember you as the artist who made a nice addition to Cape Verdean music and culture.
    I love you grandpa, goodbye on the other side,
    love Elisangela Monteiro

  4. Não entendemos o que a jornalista quis dizer com a frase “Apesar da longa carreira de intérprete, mais de meio século, Jack Monteiro foi também compositor”.
    Apesar???, pensamos que quis dizer: “ALÉM”, ou “PARA ALÉM DE”!!!!! Falta re-writer nos jornais!!!!!

  5. e aqueles cachimbos q ele fazia na Telégrafo..esse ninguem sabe .nao era so o violao…nhas sentimente de Pesamo..a toda Familia ..especialmente Sofei..Emidio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo