Cultura

Documentário “Nós, Povo das Ilhas” seleccionado para Cannes Docs

O projecto filme – documentário “Nós, Povo das Ilhas”, com direcção e produção de Elson Santos (Cabo Verde) e Lara Sousa (Moçambique), foi seleccionado para o Cannes Docs, que decorre de 6 a 17 de julho, inserido no Festival de Cinema de Cannes, um dos maiores eventos mundiais do cinema. A oficialização da escolha deste filme-documentário ocorreu ontem e Elson Santos não cabe em si de contentamento e orgulho pela valorização deste projecto a nível internacional, realçando que é uma honra representar Cabo Verde, levantar a sua bandeira e contar a sua história de luta de libertação para o mundo.

“Vamos fazer o picth (defesa oral) perante os players – produtores, fundos de financiamento, distribuidores e televisão – no dia 07 de julho. Esperamos conseguir alguém para financiar ou um prémio”, augura Elson Santos, neste exclusivo, que destaca a parceira com companheira de luta Lara Sousa, moçambicana que acredita muito neste projecto e com quem divide a realização e produção.

É a primeira vez que um projecto cinematográfico cabo-verdiano é seleccionado para o Cannes Doc e, para Elson Santos, esta escolha se deve ao reconhecimento de um trabalho que tem sido árduo, nesta caminhada que é longa. “É preciso ver esta nossa participação numa perspectiva mais alargada. Estamos numa spotlight. É algo que qualquer cineasta almeja na sua carreira. Se estar no Hot Docs do Canadá já foi um grande feito, no Cannes então é a cereja no topo do bolo. Só o facto de termos sido escolhidos para estar entre 16 projectos mundiais é o máximo”, comemora, que diz ter chegado a este importante evento do cinema e documentários mundial através do Festival de Durban.

Neste âmbito, explica o entrevistado Mindelinsite, “Nós, Povo das Ilhas” através IEFTA (Internacional Emerging Film Talent Association), que tem vindo a alargar os seus contactos. “Apresentaram o projecto ao Cannes, que gostaram e nos pré-seleccionou. Vai alavancar o nosso projecto porque nos coloca no radar internacional. As portas estão abertas. Estamos no Hot Docs, no Festival de Durban e agora em Cannes. A probabilidade de conseguir um financiador é maior porque vamos ter grande visibilidade. Outro objectivo é conseguir algum prémio monetário para podermos avançar”, frisa Elson, que admite não ter uma noção clara do que pode representar a “venda” de Nós, Povo das Ilhas em Cannes.

Paralelamente, o cineasta fala no feetback que o documentário tem vindo a angariar, numa altura que já soma uma abrangência internacional “muito positiva” . “É mais uma etapa que conseguimos atingir. Uma grande etapa, é facto. Por isso que digo que o sentimento é de orgulho, mas também de gratidão pela forma que este nosso projecto está a ser abraçado a nível internacional. Tudo isso uma motivação enorme e um combustível para esta nossa caminhada”, acrescenta Elson, que volta novamente a lembrar que é Cabo Verde que está a ser levado lá fora. “Somos um pequeno país, mas estamos a ter uma grande visibilidade. Isto tem de ser visto e valorizado por nós aqui no país.”

Lançamento em janeiro de 2023

Com lançamento previsto para janeiro de 2023, “Nós, Povo das Ilhas” recua ao ano de 1965 para reviver uma operação secreta em que um grupo de 31 jovens cabo-verdianos, incluindo uma mulher, embarcou com destino a Cuba, para receber formação militar para libertar o país do colonialismo. Trata-se de uma história de ideais, utopias e traições, pelas vozes de alguns protagonistas ainda vivo. O retrato de um jovem que se lançou numa aventura utópica e quase impossível, guiado pelo sonho da libertação do seu país, acreditando que outro futuro era possível.

Elson Santos é formado em Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica do Brasil, com ênfase em Publicidade e Propaganda. Possui 16 anos de experiência em Comunicação e Marketing, actuando nos sectores público e privado. Trabalhou na produção da 1ª edição do Festival Oiá – Festival Internacional de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde e participou no primeiro grupo de reflexão PALOP sobre cinema documentário no Festival de Cinema da CPLP realizado em João Pessoa, Brasil. “Nós, Povo das Ilhas” é a estreia de Santos no documentário como realizador e produtor.

Lara Sousa é uma moçambicana que estudou cinema documentário em Cuba. Na página do Cannes Docs, lê-se que os seus curtas-metragens têm uma estética ensaística e autorreferencial. Combina a sua visão política com uma linguagem poética, procurando um “não-lugar” entre Moçambique e outras realidades. Os seus filmes já foram selecionados para vários festivais, incluindo a Bienal 2020 de Dakar, o Berlinale Talent Campus e o Talent Campus DocStation. Seu projeto Katalina, Kalunga, Karonga – Sea Waved Tales venceu o Digital Lab Africa na categoria Arte Digital e é bolseira do Digital Lab African e Realness Creative Producers Indaba. O projeto The Ship and the Sea foi premiado no Durban Film Market 2020 com o IDFA Bertha Fund Award. Lara é ainda beneficiária do HotDocs Blue Ice Fund e do Sundance Documentary Program.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo