AtualidadeEscolha do Editor

UCID preocupada com situação social “extremamente” difícil em São Vicente

Os deputados da UCID eleitos por São Vicente estão preocupados com a situação social “extremamente difícil”, constatada durante a visita ao seu circulo. Segundo o presidente António Monteiro, não obstante alguns apoios atribuídos pelo Governo e por ong’s e a titulo individual, há pessoas a enfrentar dificuldades, superiores aos denunciados por diversas vezes pelo partido e que precisam de uma solução urgente. Pior estão as que nada receberam, nem cestas básicas e nem o apoio financeiro do Estado.

O quadro traçado pela UCID é complexo, o que leva este partido a pedir ao Estado, quer o poder Local ou Central, a reavaliar mais uma vez a situação para poder ajudar as famílias que neste momento enfrentam um grau de dificuldade mais grave do que antes da pandemia. “O vírus não é culpa de ninguém, mas está entre nós e temos de cuidar. Cabe ao Governo, à Camara Municipal e à sociedade civil tecer uma malha que permita ajudar as pessoas que estão a passar por grandes dificuldades. Temos casos de famílias com crianças de tenra idade que não conseguem o básico para garantir a saúde dos menores. É preciso pôr cobro a este dilema das famílias”, frisa. 

Este líder partidário lembra que muitas destas pessoas trabalhavam em empresas que entraram em Lay-Off. Receberam as contribuições dos patrões, mas ainda não viram os  35% da responsabilidade do INPS. Por isso, Monteiro lança um apelo a este instituto para liquidar este pendente. “Se o problema é falta de quadros, então que o INPS os tente encontrar e ajudar na resolução deste problema que, junto das pessoas, acaba por ampliar-se e assim maltratar muitas famílias que estão à espera desta importante parte do salário para assumirem as suas responsabilidades.”

Durante a deslocação, os deputados aproveitaram para visitar algumas instituições, de entre as quais o Instituto Marítimo e Portuário, o Hospital Baptista de Sousa, a Delegacia de Saúde e a Enapor para pedir esclarecimentos. No IMP, por exemplo, voltaram a questionar os responsáveis sobre os constrangimentos que os operadores, nomeadamente os proprietários das carrinhas de transporte de carga entre São Vicente e Santo Antão, estão a enfrentar por causa da entrada de água no navio Chiquinho. Sobre este particular, de acordo com Monteiro, pediram ao IMP para intervir junto do armador para resolver o problema, designadamente fechando as laterais do navio para poupar as propriedades privadas, sob pena dos operadores virem os seus bens deteriorar. 

“Entendemos que é uma tremenda falta de respeito para com estes operadores o que se está a passar e isso é inadmissível porque pagam os seus impostos e devem ter toda a protecção do Estado de Cabo Verde”, assevera o presidente da UCID, que critica igualmente a acção da Policia Nacional em relação a alguns condutores. Admite que é preciso cumprir as regras, mas alega que é necessário criar as condições de pesagem no local de origem da carga e não na chegada. Mostra-se no entanto mais incisivo em relação as toneladas dos atrelados que, afirma, muitas vezes superam as 45 toneladas, que não são fiscalizados, ao contrario das carrinhas com 2/3 toneladas. 

O aumento do frete do transporte de viaturas entre as ilhas de São Vicente e São Nicolau foi outro ponto a merecer a atenção dos “democratas-cristãos”. Segundo Monteiro, o aumento foi superior a 25%, isto é, se antes se pagava 36 mil escudos para o transporte de uma viatura Dina, agora o preço disparou para 55 mil escudos. Este diz não entender esta grande variação de preço porque a empresa é subsidiada pelo Estado e estes valores vão encarecer os produtos em plena pandemia. 

Da visita ao HBS, este diz ter constatado algumas carências em termos de cobrança por serviços não prestados por causa da pandemia da Covid-19, o que o levou a assumir o compromisso de levar esta preocupação ao Governo. Condenou, no entanto, a falta de reagentes para fazer exames e analises auxiliares, que não podem faltar nesta altura. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Monteiro, bo ta fla li so na politiquice, ta manda ate coloca casas de tambor ao contrario de promove boas politicas….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar