AtualidadeB5

Estruturas de Saúde registam queda na afluência superior a 50%

As estruturas de Saúde um pouco por todo Cabo Verde – hospitais e centros de saúde – estão a registar uma quebra na afluência de doentes superior a 50% desde que foi decretado estado de emergência, não obstante os serviços prioritários estarem a funcionar, revelou o Director Nacional da Saúde. Artur Correia apelou, por isso, aos doentes crónicos para não deixarem de frequentar estes serviços e a manter a sua medicação.

Segundo este responsável, o estado de emergência levou a uma diminuição brusca na afluência aos serviços de saúde, em muitos casos superior a 50 por cento. Para Correia, esta ausência de utentes, motivada por medo de contaminação mas também por causa das recomendações para ficar em casa, pode constituir um perigo sobretudo para os doentes crónicos. 

“Temos um conjunto de serviços prioritários que continuam a funcionar. Refiro concretamente às questões de saúde sexual e reprodutiva, mas também à actividade de vacinação das crianças que é importantíssima e não pode ser descurada. Temos ainda as doenças crónicas. As pessoas precisam ir buscar a sua medicação”, detalhou o Director Nacional da Saúde. 

Correia garantiu que as estruturas de saúde estão orientadas para aumentar o espaçamento das consultas e a entrega de receitas por forma a facilitar a vida aos doentes crónicos e evitar aglomerações. Mas, adverte, estes têm de ter atenção e não deixar de  frequentar os hospitais e centros de saúde, em caso de necessidade, desde que devidamente protegidas. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo