Atualidade

Dia Internacional da Juventude: Presidente da JPAI diz que jovens cabo-verdianos não têm motivos para sorrir com a governação do MpD 

O presidente da Juventude do PAICV disse hoje em conferência de imprensa no Mindelo para assinalar o Dia Internacional da Juventude, que se celebra esta sexta-feira, 12 de agosto, que os jovens de Cabo Verde não têm grandes motivos para sorrir com a actual governação do MpD e do PM Ulisses Correia e Silva. Fidel  Cardoso de Pina justifica dizendo que 32% dos jovens cabo-verdianos estão desempregados e que mais de 77 mil jovens cabo-verdianos, entre os 15 e 35 anos, estão inactivos, ou seja, fora do sistema de ensino e sem emprego em Cabo Verde.

Para o líder da JPAI, a juventude cabo-verdiana, apesar da sua significativa expressão democracia e das suas características típicas, é o grupo que regista maior exclusão do campo de trabalho formal. “Os jovens são os mais afectados pelo desemprego, os mais expostos a pobreza, os que mais sofrem com a exploração laboral, sendo que milhares de jovens cabo-verdianos têm de recorrer a trabalhos informais e precários para poderem suprir as suas necessidades económicas”, afirma. 

Por isso mesmo, segundo Fidel de Pina, não há grandes motivos para celebrar com a governação do MpD. “Os dados demonstram que mais de 32% dos jovens estão desempregados. Mais de 77 mil jovens entre os 15 e 35 anos são inactivos, ou seja, estão fora do sistema de ensino e sem emprego. Desses, cerca de 71% não concluir o ensino secundário”, elenca, acrescentando ainda que mais de 23 mil cabo-verdianos estão numa condição de subemprego e a esmagadora maioria são jovens. 

E a situação é ainda mais preocupante no mundo rural. Mesmo assim, indica, não há uma politica de estímulo das actividades produtivas no meio rural e os jovens não têm acesso a terra, que é um dos principais factores de produção. Por outro lado, oGoverno não conseguiu estabelecer um eles entre as actividades produtivos no meio rural e o mercado do consumo no sector turístico. “Há um aumento preocupante de jovens formados, com licenciatura, que estão numa situação de desemprego prolongado porque o mercado não os consegue absorver. Os jovens não confiam nos recrutamentos da Administração Pública, que não são transparentes e não são feitos com base na meritocracia, mas sim na simpatia politica”, denuncia. 

Já em relação aos que estão no mercado formal, afirma, a maioria está empregado no sector turístico, principalmente nas ilhas do Sal e Boa Vista, onde auferem salários baixos em contraste com o custo de vida elevado. Conseguir casa própria é cada vez mais difícil e uma miragem para os jovens, mesmo entre os que estão empregados. A agravar este cenário, refere, as medidas anunciadas pelo Governo de combate aos problemas da juventude sao insuficientes, ineficazes e não levam em conta a dimensão estrutural dos problemas dos cabo-verdianos. 

Fidel de Pina conclui dizendo que o Governo apresenta o empreendedorismo como solução para os problemas econômicos e sociais da juventude cabo-verdiana. Porém, não percebe que para os jovens que estão sem emprego e que ainda não concluíram o secundário, o empreendedorismo e o recurso ao credito bancário não é não resolve o problemas dos milhares de jovens nesta situação. Defende por outro lado que a insuficiência das politicas públicas sistematizadas para jovens por parte do Governo está a refletir no abandono escolar, no consumo abusivo do álcool e no aumento da reincidência criminal e conseguinte aumento da população jovem reclusa. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo